Justiça

Rondônia 15/08/2018 10:13 G1

Justiça de RO nega efeito suspensivo e mantém afastamento de vereador condenado por crime ambiental

Ernandes Amorim possui sentença transitado em julgado por incendiar duas áreas de proteção ambiental e foi afastado da Câmara de Ariquemes (RO). Defesa aguardá julgamento do mérito.

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) negou nesta semana o pedido de liminar que buscava suspender o afastamento do vereador Ernandes Santos Amorim, de 71 anos, da Câmara Municipal de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. O parlamentar foi afastado do cargo por possuir uma condenação criminal transitado em julgado, quando não cabe mais recursos, na segunda instância.

Segundo o Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO), o afastamento se dá em cumprimento a uma sentença de crime ambiental contra o vereador, a qual transitou em julgado, em agosto de 2017, o que conforme a Constituição Federal, caracteriza a suspensão dos direitos políticos.

Ernandes Amorim foi condenado em 2014 por destruir 30 hectares de duas áreas de proteção ambiental com o uso de fogo, próximo a uma propriedade rural, em Machadinho D’Oeste (RO).

Por conta disto, a promotoria de Ariquemes ingressou com a ação civil pública e obteve junto a 2ª Vara Civil do município a concessão da tutela de urgência para o afastamento do vereador.

Após ingressar o recurso no TJ-RO, a defesa do vereador disse ao G1 que houve uma intervenção do Poder Judiciário no Poder Legislativo.

“Houve uma separação de poderes, só quem pode declarar a vacância do cargo não é o Poder Judiciário e sim a Câmara de Vereadores”, disse o advogado na última semana.

Mas ao analisar o recurso o desembargador Eurico Montenegro, destacou que não houve intervenção do Judiciário em razão do vereador possuir uma ação penal transitada em julgado, o que dispensa a votação pela Câmara.

“No que se refere à suposta incompetência do Juízo, quando houver a condenação de parlamentar em ação penal transitada em julgado, em que decretada a perda do cargo eletivo, torna-se desnecessária a abertura de procedimento político prévio na casa legislativa objetivando a perda já decretada”, descreveu o desembargador.

Ao G1, o advogado de Ernandes Amorim, Nelson Canedo Motta, a defesa agora aguardará pelo julgamento do mérito no agravo de instrumento.

Com o afastamento de Amorim, o suplente Ueslei Pinheiro da Silva foi empossado ao cargo durante uma sessão ordinário no plenário da Câmara, na última semana.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo