Ariquemes (RO), 22 de setembro de 2019

Policia

Feminicídio: 02/09/2019 14:17 FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO ANGOP

Filha de missionários da JOCUM é assassinada em Angola

O assassinato da jovem Yelissa Mendes já é o segundo caso de feminicídio em menos de uma semana no Huambo, Angola.

Na madrugada de sexta-feira para sábado (31), a filha mais nova do casal de missionários da Igreja JOCUM, Ismael e Sibele Mendes, que atuam no Huambo (Angola), foi encontrada morta. A moça teria sido assassinada pelo ex-namorado, que a raptou enquanto ela saía do trabalho.

A jovem Yelissa Mendes, de 22 anos de idade, era finalista do curso de Literatura Inglesa pelo Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) e professora de inglês.

A morte da moça já configura o segundo feminicídio por questões passionais, em menos de uma semana na mesma região. O primeiro caso foi o de Lúcia Henriqueta Abel, de 29 anos de idade, assassinada pelo namorado, dentro de uma residência no bairro Chipachiwa, também próximo ao Huambo.

Missionários, pastores e amigos de Ismael e Sibele, de diversas partes do mundo, lamentaram o ocorrido e pediram orações pela família.

“Muito sentidos e chorando juntos neste dia com Ismael Mendes Ferreira e Sibele, pela perda da filha querida. Sua filha menor Yelissa, de 22 anos, foi assassinada nesta noite. Eram missionarios em Angola há quase 30 anos”, disse o missionário José Dilson, que trabalhou no Senegal por décadas e atualmente vive em Niterói (RJ).

“Nosso coração está chocado e estamos em luto com esta família. Se puderem orar por eles, com certeza precisarão imensamente. Ninguém pode imaginar a dor e a tristeza dessa família. Que preço estão pagando neste campo missionário. E essa família agora precisa das nossas orações”, acrescentou ele.

A missionária Vera Rissato, que atua em Angola, também pediu orações pela família de Yelissa.
“Estou profundamente triste e abalada com a notícia da morte da Yelissa, assassinada ontem na cidade de Huambo, filha mais nova do Ismael e Sibele, meus amigos missionários da Jocum em Angola há quase 30 anos. Eu a conheci ainda bebê e neste momento de tanta dor e sofrimento peço-lhes que orem por eles. Somente o Espírito Santo de Deus poderá consolar os corações dessa família que deu a vida pela obra missionária”, escreveu a missionária em uma publicação do Facebook.

A missionária Maria Glorete dos Santos também conhece a família e lamentou a morte de Yelissa, acrescentando que os missionários brasileiros têm enfrentado intensa batalha espiritual em Angola.

“Estou sem palavras. Lamentável. Eu os conheço. São líderes da JOCUM no Huambo. Infelizmente nessas 2 semanas os obreiros brasileiros estão sendo motivo de muitos ataques diabólicos”, destacou.

A JOCUM do Brasil emitiu uma nota, também pedindo orações e lembrando a importância de apoiar financeiramente a família.

"A Jocum Brasil se solidariza a família de missionários que vive na África e que passa um momento se dor sem igual. A notícia da morte da filha mais nova de Ismael e Sibele, líderes da @jocumhuambo, a jovem Yelissa, chocou bases em todo o Brasil", destacou a organização em sua página do Facebook "Queremos fazer um pedido: ore por esta família. Na imagem você pode ver também os dados bancários para contribuir com finanças, pois após o enterro, os pais devem ir até o Camboja para encontrar a outra filha, que nao conseguiu se juntar a família e precisa de apoio emocional".

"Desejamos que o Espírito Santo console e renove suas vidas para seguir adiante", acrescentou o texto junto à imagem com os dados bancários da família.

A JOCUM no Brasil divulgou os dados bancários da família de Yelissa. (Imagem: Facebook)

De acordo com uma fonte familiar, em declarações dadas ao jornal local 'ANGOP', a vítima enviou mensagem aos familiares por volta das 20h40 de sexta-feira, para comunicar que, apesar de ter saído cedo do serviço, chegaria tarde em casa. O motivo seria o convite do ex-namorado para "liquidar uma dívida financeira".

Segundo a fonte, Yelissa explicou na mensagem que a dívida deveria ser paga no bairro do Cambiote, a cerca de oito quilômetros da cidade do Huambo. Depois disso, a moça ficou incomunicável pelo telefone, o que deixou a família preocupada.

Investigação
O corpo da vítima foi encontrado atrás de uma árvores caída, próximo à floresta do Sacaála, nos arredores da cidade do Huambo. Após matar a jovem, o assassino jogou o carro dela em uma lagoa a 10 quilômetros de distância, a sudeste do local do crime.

O porta-voz da Polícia Nacional da província do Huambo, inspector-chefe Paulo Chindele Cassinda, assegurou tratar-se de um crime de homicídio qualificado.

O oficial informou que o ex-namorado de Yelissa já se encontra sob custódia da polícia, até que as investigações sejam concluídas e ele seja encaminhado ao Ministério Público.

Contudo, o inspector-chefe Paulo Chindele Cassinda apelou à população no sentido de denunciar indícios criminais, quer na família, como na comunidade, para evitar que situações do género aconteçam, numa altura em que as autoridades estão empenhadas na moralização da sociedade.

Ainda esta semana, a cidadã Lúcia Henriqueta Abel, de 29 anos de idade, foi assassinada pelo namorado, no interior de uma residência no bairro Chipachiwa, arredores da cidade da Caála (Huambo), na sequência de uma briga motivada por ciúmes, perfazendo dois casos em menos de sete dias.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo