Política

Rondônia 07/11/2017 19:30 Da Assessoria

Comissão de Indústria e Comércio discute situação da piscicultura

Os parlamentares fizeram alguns questionamentos sobre a produção de peixes em cativeiro ao governo do Estado e ao Basa

A Comissão de Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa se reuniu na manhã desta terça feira (7) para discutir a questão dos pequenos produtores do setor de piscicultura de Rondônia. Na reunião estiveram o presidente da comissão Geraldo da Rondônia (PSC), Anderson do Singeperon (PV) e Aélcio da TV (PP).

Geraldo da Rondônia se disse inconformado com diversos casos de pequenos piscicultores, que estão abandonados. “Sinto-me incomodado com essa situação e não posso ficar de braços cruzados, até por questão da minha responsabilidade diante dessa comissão”, afirmou.

Segundo o deputado, hoje a produção de peixes em cativeiro em Rondônia presencia uma tragédia, onde muitos estão falidos, principalmente por conta da inadimplência dom os bancos e cooperativas de crédito.

O superintendente do Banco da Amazônia (Basa) de Rondônia, Wilson Evaristo, afirmou que a instituição anda sempre alinhada ao governo, em especial as políticas de cadeias produtivas selecionadas. “O Basa, apesar de só possuir 14 unidades, atende todo estado de Rondônia e 72% dos nossos recursos aplicados esse ano foram para micro e pequenos produtores, como ordenado pelo governo federal”.

Ainda de acordo com o representante do Basa, só na piscicultura foram investidos R$ 123 milhões e que as unidades de Rondônia seguem as regras do Banco Central, sempre fazendo estudos cuidadosos para os empréstimos e impondo os limites.

O superintendente Estadual de Desenvolvimento (Suder), Basílio Leandro, afirmou que o órgão sabe da situação da demanda do pescado, mas assegurou que estão havendo diversos programas para o incentivo no setor.

“Nós já fizemos três ações com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com o objetivo de gerar negócios para a piscicultura de Rondônia. Fizemos também três rodadas de negócios para o setor de pescado e seminários com o objetivo de levar ao pequeno produtor informações de como prevenir alguns maus na produção como o nematóide”.

Basílio afirmou que para situações de médio e longo prazo, a Suder entrou em contato com algumas empresas privadas, para que lancem produtos específicos para a produção de peixes como defensivos para pragas e afins.

A técnica de piscicultura Ilce Santos, disse que a preocupação dos parlamentares é muito justa, mas acredita que o setor não passa por tragédias. Ela afirmou que em 2010 – segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – Rondônia produzia aproximadamente 11 mil toneladas de pescado e, em dados mais recentes, o estado se encontra com valores de produção de 19 mil toneladas. 

Ela ressaltou que, infelizmente, alguns produtores simplesmente não possuem afinidade com as atividades e por isso acabam por falir ou ter maiores dificuldades de venda, mas que os que tiverem problemas sempre podem contar com a Suder, com a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e com todos os demais órgãos de assistência e fiscalização.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo