Política

Ariquemes 13/03/2018 11:40 Da assessoria

Ariquemes pactua compromisso para reduzir indicadores de criminalidade

Melhorar os indicadores de Segurança Pública nas cidades que enfrentam mais desafios para conter a criminalidade. Essa é a meta do subprograma Municípios Mais Pacíficos que faz parte do Programa Rondônia Mais Segura e que na manhã desta segunda-feira (12) realizou o primeiro pacto no município de Ariquemes envolvendo Estado, prefeitura e a Sociedade Civil.

A solenidade ocorreu na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) do município com a presença do governador Confúcio Moura. ‘‘Eu desejo que Ariquemes abrace esse programa. É a força do interior do Norte brasileiro mostrando que tem condições de virar essa página negra da violência que atormenta a população. E esse pacto é o ponto de virada’’, garantiu o governador.
‘‘Aqui em Ariquemes a questão está mais relacionada ao Vale do Jamari e a fronteira com o Mato Grosso que é uma rota de furto e roubo que deixa a região muito vulnerável, apesar disso já ter melhorado muito’’, avalia o secretário da Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), coronel Lioberto Caetano.
O pacto foi assinado pelo governador, prefeito de Ariquemes Thiago Flores, secretário da Sesdec, secretária executiva da Governadoria Cira Moura, representantes do Departamento Estadual de Estradas de Rodagens, Infraestrutura e Serviços Públicos de Rondônia (DER); Departamento Estadual de Trânsito (Detran); Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel); Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas); Conselho Tutelar de Ariquemes, Secretaria Municipal de Trânsito (Semust) e Associação de Comercial e Industrial de Ariquemes (ACIA).
‘‘Esse é um modelo muito especial no Brasil porque todas as demais formas experimentadas pelos governos estaduais não tiveram grande sucesso como as APPs no Rio de Janeiro e o Pacto pela Vida em Pernambuco e esse projeto nosso é caseiro, sem fórmulas mágicas, sem importação de dados de outro lugar do mundo, foi composto a partir das ideias da casa’’, explica o governador.
A ideia é mobilizar os poderes públicos e a sociedade para o enfrentamento dos problemas particulares de cada município em Segurança Pública. ‘‘E aí entra a participação, por exemplo, do Ministério Público, conselhos tutelares e de associações, tudo é importante desde reparar a lâmpada quebrada, riscos nas proximidades das escolas, trânsito mais seguro, mais efetivo de Polícia, ações rápidas e mais modernização dentro das delegacias’’, considera o governador.
Estratégias
Ariquemes é o primeiro município de Rondônia a estabelecer o pacto do Rondônia Mais Segura que foi lançado em setembro do ano passado direcionado a 22 municípios avaliados com maior índice de criminalidade pela Gerência de Estratégia e Inteligência (GEI) da Sesdec.
‘‘Rondônia tem municípios pacíficos, mas também tem aqueles que puxam o Estado para baixo com seus indicadores de criminalidade, mas nós vamos mudar essa realidade e para isso convidamos a população a contribuir com esse projeto de grande viabilidade porque não tem o sonho de gastanças exageradas, apenas a mobilização, inclusive esse projeto terá o acompanhamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o PNUD e a Universidade de Brasília’’, disse o governador.
‘‘Nós identificamos a necessidade de integração das forças do Estado e a grande inovação do Rondônia Mais Segura e que a Segurança Pública é sim um dever de todos, não é só um caso de polícia e por essa razão contratamos uma consultoria, capacitamos mais de 300 técnicos, identificamos pontos de alavancagem que poderiam mudar o cenário da violência e dali saíram vários componentes’’, afirma o secretário de Segurança. Entre eles o componente 4 referente ao trabalho voluntário.Durante a solenidade de assinatura do pacto sete profissionais do projeto Voluntariar foram oficialmente apresentados e passarão a atuar na Unisp de Ariquemes.
De acordo com a secretária executiva da Governadoria Cira Moura, o Rondônia Mais Segura possui três principais estratégias. ‘‘A primeira estratégia é a formação de uma rede intersetorial de atores composto por diversas instituições que formam o Estado que dá consolidação e sustentabilidade para o programa para que seja um programa de Estado e não de governo. A segunda estratégia é o uso da tecnologia aplicado tanto a inteligência policial quanto a gestão doe trabalho em segurança pública e a terceira estratégia é a territorialização das intervenções positivas a partir de uma mapa que trace todas as estatísticas possíveis da situação de um município’’, explica Cira.

Postado por Almi Coelho


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo