Regional

Rondônia 21/03/2018 02:12 G1

Protesto de professores fecha a BR-364 e bloqueia tráfego entre RO e AC por 9h

Protesto feito por professores da rede estadual iniciou na manhã desta terça, 20. Entre as reivindicações, grupo quer cumprimento do piso salarial e melhores condições de trabalho.

Um grupo com cerca de 300 manifestantes fechou nesta terça-feira (20) o acesso do entroncamento da BR-364 e Engenheiro Isaac Bennesby, que interliga Guajará-Mirim e Nova Mamoré (RO). O trecho bloqueado também é a principal rota de acesso ao estado do Acre. Com isso, o tráfego de veículos entre os dois estados ficou totalmente bloqueado por 9h.

Conforme informações de policiais rodoviários, o grupo decidiu encerrar o protesto no começo da noite, após o governo do estado marcar uma reunião com os grevistas em Nova Mamoré. O encontro será feito na Câmara de Vereadores.

O fechamento do trecho aconteceu por volta das 8h, quando professores da rede estadual dos dois municípios se reuniram para protestar contra o governo do estado em relação ao piso salarial e melhores condições de trabalho.

Bloqueio começou logo pela manhã, segundo a PRF (Foto: Infográfico: Alexandre Mauro / G1)
 

Sem poder atravessar o bloqueio, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), vários veículos se aglomeraram e formaram um grande congestionamento na BR-364 e BR Bennesby.

Uma das professoras que participam do movimento disse que os manifestantes querem que o governo agende uma nova negociação com a categoria, que está em greve desde o dia 21 de fevereiro.

Segundo a PRF, ainda na parte da manhã, por volta das 11h, a rodovia foi liberada rapidamente com a chegada do vice-governador. Mas, sem êxito nas negociações, a BR foi novamente fechada às 14h (local).

Pelo menos duas equipes da PRF foram deslocadas até o local para acompanhar a situação, mas não existe uma previsão para a liberação do trecho.

Na tarde desta terça-feira, a PRF diz que cerca de 300 manifestantes estavam no local, porém não houve nenhum incidente registrado até o fechamento desta reportagem.

A assessoria do governo do estado informou que não recebeu nenhuma reivindicação oficial e que, por enquanto, não vai se manifestar sobre o protesto.

No começo dessa semana, os professores de Rondônia decidiram manter a greve, pois nenhum acordo foi fechado com o governo. Por causa da paralisação, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondônia (Sintero) vai ter que pagar uma multa de R$ 100 mil por dia.

A determinação foi do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), após audiência de conciliação realizada na última sexta-feira (16).


Sulenorte530f5faaa10d5 26904052 1401088410020007 3468956295198393236 n 19944622 1768075189889160 2633147811106186329 o
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo