Regional

Rondônia 04/09/2018 09:30 G1

Moradores ateiam fogo em pneus após falta de manutenção em residencial do 'Minha Casa Minha Vida', em RO

Reivindicações envolvem vazamento de água em banheiro e incêndio que desabrigou 16 famílias em Porto Velho. Problema é responsabilidade da Caixa Econômica Federal (CEF).

Cerca de 240 famílias que moram em um condomínio do programa "Minha Casa Minha Vida", na Zona Leste de Porto Velho, manifestaram contra a falta de manutenção do local por parte do governo federal na noite desta segunda-feira (3). Os moradores atearam fogo em pneus na porta do residencial e bloquearam a entrada. A mobilização começou por volta das 19h.

Entre as reivindicações, há o vazamento de água no banheiro de um dos apartamentos do Bloco I do condomínio Cidade Para Todos IX, liberado para moradia há dois anos, que coloca em risco a segurança dos moradores. O conserto é de responsabilidade da Caixa Econômica Federal (CEF).

Segundo o administrador do condomínio, Ualter Bonfim, de 34 anos, o vazamento persiste desde a entrega dos apartamentos às famílias. Elas são de baixa renda e pagam entre R$ 30 e R$ 90 para morar no residencial.

"A construtora já entrou várias vezes neste apartamento e nunca ajeitou. Eles entregaram e deixaram dessa forma", explicou o morador.

Ainda conforme Ualter, a cada dia, o problema piora. O vazamento tem atingido a parte interna do apartamento e os dos vizinhos. Caso a situação não seja resolvida, pode gerar um curto circuito. "Pode acontecer um curto e pegar fogo, isso porque a energia da moradora está ligada. Como não há bombas para incêndio, não vamos poder inibir o fogo", completou Ualter.

O medo de incêndio tem explicação. Há quase uma semana, o bloco vizinho foi parcialmente destruído pelo fogo, fazendo com que 16 famílias ficassem sem abrigo. Apesar do susto, ninguém ficou ferido. Os dois primeiros andares do prédio e o sistema hidráulico foram danificados. Por causa das chamas, há rachaduras nas extremidades do bloco, indicando novos riscos.

De acordo com Ualter Bonfim, a Defesa Civil tem auxiliado as famílias desabrigadas, principalmente dando apoio logístico para quem precisa ainda retirar os móveis que não foram consumidos pelas chamas.

Segundo ele, uma equipe do órgão deve retornar ao condomínio para analisar o vazamento na manhã de terça-feira (4). "Eles virão aqui para ver. Pela forma que está, devem interditar também. É muito descaso", lamentou Ualter.

O G1 tentou contato com a moradora do apartamento para saber mais detalhes sobre o vazamento. Porém, até o fechamento desta publicação, as ligações não foram atendidas.

Sobre o incêndio em um dos blocos, a CEF de Rondônia esclareceu que ainda aguarda a apuração da Defesa Civil e de órgãos competentes para a emissão do laudo da ocorrência.

Informou ainda que tomará as providências necessárias à reparação da estrutura que foi afetada no incidente.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo