Rondônia

Rondônia 24/05/2018 09:45 Assessoria

Postos de gasolina em RO podem ficar sem combustível devido a paralisação de caminhoneiros

Bloqueio de rodovias impede combustível de chegar ao postos, segundo Sindpetro. Transporte público também corre risco de não funcionar na próxima sexta-feira (25) na capital, afirma Consórcio SIM.

A paralisação dos caminhoneiros e o fechamento da Estrada do Belmont em Porto Velho, e de trechos na BR-364 no interior de Rondônia, está causando preocupação em setores que dependem diretamente do combustível.

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Rondônia (Sindpetro-RO), caso a paralisação continue na BR-364 e na Estrada do Belmont, ponto de entrada do combustível em Porto Velho, até a próxima quinta-feira (24), Rondônia correm o risco de ficar sem combustível.

“Há regiões do interior de Rondônia que já estão sem combustível, devido a paralisação em vários pontos da BR-364 desde segunda-feira (21). Com o fechamento da Estrada do Belmont, Porto Velho também entra nessa lista”, afirma o secretário executivo do Sindpetro-RO, Carlos Eduardo.

Ainda segundo o Sindpetro, a constante mudança de preço dos combustíveis obrigou alguns postos da capital a trabalharem com o estoque baixo. “O estoque aqui na cidade é mínimo. Com essas paralisações o portovelhense corre o risco de sentir o reflexo (falta de combustível) já nessa quinta-feira (24)”, lembra o secretário do sindicato.

Outro setor que está apreensivo com a possível falta de combustível na capital é o transporte público. O Sistema Integrado Municipal de Porto Velho (SIM) afirma que teme não ter diesel disponível para os ônibus rodarem já na próxima sexta-feira (25).

Para o consórcio SIM, se o cenário atual de paralisação de caminhoneiros e de rodovias importantes do estado continuar, o usuário do transporte público também corre o risco de não ter o serviço a partir da sexta (25).

“Além do atraso dos ônibus que acabam se envolvendo nas paralisações em alguns pontos de Porto Velho, o fechamento da Estrada do Belmont nos preocupa pela possibilidade de não termos combustível para os ônibus rodarem. Não temos reserva de diesel até a para a próxima sexta-feira (25)”, afirma a diretora executiva do consórcio SIM, Elizabeth Barofaldi.

Outro ponto destacado pelo consórcio e que deve deixar o usuário do transporte público em Porto Velho apreensivo é o reflexo do aumento do diesel.

“Não suportamos mais o aumento desenfreado do preço do combustível. Registramos, em apenas um ano, um aumento de quase 56% no preço do diesel. É a segunda maior despesa do consórcio e quem pode sentir o impacto do aumento dessa despesa é o usuário do transporte público”, lembra a diretora do SIM.

O Sindicato do Comerciário em Porto Velho (Sindecom) também afirma que se o atual cenário se perpetuar, poderá resultar na falta de mercadorias. Mas o sindicato lembra que, até o momento, o comerciante não sentiu diretamente os reflexos dessa paralisação.


Ff68b8fe 4dd2 4658 a19b 54244f831894 Sulenorte530f5faaa10d5 26195397 398735003923231 7007675031640999292 n 26904052 1401088410020007 3468956295198393236 n 19944622 1768075189889160 2633147811106186329 o
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo