Últimas Notícias

Rondônia 16/04/2018 11:59 Correio Central

Idoso morre afogado durante pescaria com a família em igarapé da BR-364

Um homem de 65 anos de idade morreu afogado na tarde deste domingo (15) no represamento de água de um igarapé que cruza a BR-364 a 14 Km de Ouro Preto do Oeste, sentido a Jaru.

O igarapé é o rio Paraíso, e ca aproximadamente a dois km do Rio Santa Rosa,  conhecido popularmente por rio "Xibiu",  onde existem dois bueiros em concreto com travessia subterrânea, que até pouco tempo era um local tradicional para banho.

A vítima do afogamento é Ailton Roberto dos Reis, o senhor “Nenê”, que residia no Bairro Nova Ouro Preto, perto da rodoviária. Seu Nenê era cunhado do mototaxista Linézio Pereira Torres.

A vítima foi para o igarapé juntamente com a irmã, o cunhado Linézio, e mais três amigos para pescar e tomar banho. Ailton disse para os familiares que ia tomar um banho, e a represa tem pontos com profundidade que atinge quase 4 metros.

Segundo as testemunhas, após entrar na água o idoso emergiu apenas uma vez, levantou um dos braços, fez gestos de quem pedia ajuda, e desapareceu num poço escuro e profundo.

Desesperados, os parentes e amigos tentaram localizar a vítima, mas devido a profundidade do poção de água não foi possível.

Enquanto o Corpo de Bombeiros era acionado, os amigos de seu Ailton usaram um anzol e conseguiram cravá-lo no corpo da vítima, e puxaram para a margem da represa.

Segundo o cunhado de seu Nenê, eles chegaram pouco depois de 14h30 na represa que se forma à margem direita da BR-364. O Local é fundo e a água corrente forte que sai do bueiro torna o local complicado e perigoso.

Foram deslocadas para o local a equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Ouro Preto composta do cabo BM Porfírio e o Sargento BM Delevidore, e uma equipe de Ji-Paraná composta do Capitão BM dos Santos, comandante do Grupamento do Corpo Bombeiros Militar de Ji-Paraná {que é mergulhador} com o sargento BM Galdino. Como familiares já haviam retirado o corpo do idoso da água, os bombeiros isolaram a área, cobriram o corpo e aguardaram a chegada da equipe da Politec.

Ailton Roberto residia no estado do Acre, e como estava separado retornou a oito meses para Ouro Preto do Oeste e foi morar com a mãe. “Faz quase 20 anos que não vou na beira de um rio, e o dia que eu venho acontece uma tragédia dessa”, lamentou um dos amigos da pescaria que foi interrompida pelo incidente fatídico.

O corpo de Ailton Reis será velado na capela da funerária da Associação Vida Nova, na Avenida XV de Novembro.

 


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo