AO COMPLETAR 79 ANOS, BASA COMEMORA APLICAÇÃO DE R$ 1,38 BI NO PLANO SAFRA DE RONDÔNIA

 No dia 09 de julho, o Basa completa 79 anos de atuação nos nove estados da Amazônia Legal, sendo responsável pela aplicação de 65% do crédito de fomento na região Norte. A principal fonte de recursos de crédito, operada pelo Banco, é o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). 

 

 

Nos últimos cinco anos, foram aplicados R$ 5,7 bilhões com recursos do FNO pelo Basa no estado de Rondônia. De acordo com a gerente executiva de Planejamento, Márcia Mithie, em Rondônia, o Fundo responde por 67,21% do crédito. “A missão do FNO é contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, através da execução de programas de financiamento aos setores produtivos, em concordância ao plano nacional de desenvolvimento regional”, acrescentou. 

 

De acordo com o diretor de Crédito do Banco, Roberto Batista, o BASA é o principal agente de crédito em uma região com acentuadas desigualdades, menores índices de desenvolvimento humano (IDH) e maiores taxas de inadimplência em relação à média do Brasil. Somente em Rondônia, essa taxa foi 2,16%, registrada entre empresas de pequeno porte no primeiro semestre de 2020. “A estas características sociodemográficas, soma-se o perfil dos financiamentos concedidos pelo Basa, majoritariamente operações de longo prazo com clientes de menor porte, torna a missão desafiadora de gerir o crédito de fomento nos 450 municípios do Norte”, revelou. 

 

Neste momento, a aplicação do FNO está sendo debatida com a repercussão da Medida Provisória nº 1052, que altera a participação da União em fundo para estruturação e desenvolvimento de projetos de concessão e de parcerias público-privadas da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e regras de repasse dos Fundos Constitucionais de Financiamento das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.  

 

De acordo com o presidente do Basa, Valdecir Tose, a MP 1052 reduz significativamente a remuneração do Banco em relação ao FNO. Por isso o Banco já alterou a sua política de crédito. Até que a medida seja discutida dentro do parlamento brasileiro e nos Ministérios e seja revisada, nesse momento, o impacto é basicamente  dentro da política de crédito, em algumas restrições de prazos e condições de garantia. “O Banco tem evitado esse processo, aguardando o trâmite da medida e a possibilidade de reversão para depois fazer uma medida mais dura”, explicou o presidente Valdecir Tose.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários