28.7 C
Ariquemes
quinta-feira, fevereiro 25, 2021
Início Brasil Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020,...

Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA

O Brasil deve produzir 10,5 milhões de toneladas de carne bovina e 4,2 milhões de toneladas de carne suína em 2020, estima o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Se confirmados, os volumes representam, respectivamente alta de 3,4% e 4,5% ante o produzido no ano passado. As estimativas foram divulgadas em levantamento publicado pelo Departamento na última segunda-feira, 24.

O USDA atribui o aumento da produção de proteína bovina à maior produtividade, exportações recordes contínuas e ao fortalecimento do mercado doméstico. Já a perspectiva de incremento na produção de carne suína, afirma a agência, reflete a forte e contínua exportação para a China, a maior demanda doméstica e estabilidade nos custos de alimentação animal. O Departamento do governo norte-americano afirmou que a estimativa de crescimento de 2% para a economia brasileira e a expectativa de que as exportações brasileiras continuem firmes sustentam a projeção de aumento na produção de ambas as proteínas.

O USDA prevê também que o País exporte 2,53 milhões de toneladas de carne bovina neste ano, 10% a mais que o comercializado para o exterior em 2019. “Impulsionado principalmente pela firme demanda de China e Hong Kong. Em 2020, uma combinação de desvalorização da moeda brasileira e estabilidade nos preços domésticos provavelmente vão manter as exportações brasileiras de carne bovina com preços competitivos mercado mundial”, explica o relatório.

De carne suína, o Brasil deve exportar 980 mil toneladas neste ano, volume 15% superior ao vendido para o mercado externo em 2019, projeta o USDA. A estimativa segundo a agência considera o impacto da peste suína africana na China, no Vietnã e outros países asiáticos. “Exportadores brasileiros e autoridades governamentais também estão envolvidos na promoção do mercado para Angola, Chile e África do Sul”, destaca o USDA.

O USDA afirmou, ainda, que desde janeiro aumentaram as incertezas em relação ao impacto do coronavírus e do acordo entre Estados Unidos e China sobre os embarques de carnes do Brasil para a Ásia. A incerteza é maior quanto ao reflexo do coronavírus nas exportações de carne bovina para a China, em virtude de possíveis restrições logísticas no país. “Fontes comerciais preveem um aumento contínuo nas exportações de carne suína para China/Hong Kong em 2020, apesar dos problemas atuais derivados do surto de coronavírus na China”, pondera a agência.

Apesar de ter sido divulgado na segunda, o relatório do USDA foi finalizado em 18 de fevereiro. Dessa forma, o levantamento não considera a recente reabertura do mercado norte-americano à carne bovina brasileira.

Mais Populares

UTI’s são fechadas em Rondônia e secretário joga a toalha 

Nesta manhã de quinta, 25, Máximo utilizou a rede social para mandar um recado direto, aos desumanos, que ainda insistem numa aglomeração em praças...

Eletricista morre após sofrer descarga elétrica em propriedade rural em Santa Luzia

Um eletricista, identificado por Hamilton Lourenço da Silva, acabou morrendo durante a tarde desta quarta-feira, 24, em uma propriedade rural na linha 184, lado...

Boletim diário sobre coronavírus em Rondônia

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga os...
Skip to content