22.8 C
Ariquemes
quarta-feira, outubro 28, 2020
Início Notícias Guedes confirma fim do auxílio-emergencial em 2021

Guedes confirma fim do auxílio-emergencial em 2021

“Não há qualquer plano para estender o auxílio, nenhum”, disse ele, numa decisão que pode jogar milhões de brasileiros na miséria.

Reduzido recentemente para R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras), o auxílio emergencial não será estendido em 2021, disse hoje (16) o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele reiterou que o teto de gastos será mantido após o fim do estado de calamidade aprovado neste ano por causa da pandemia de covid-19.

“Não há qualquer plano para estender o auxílio, nenhum. Isso não é verdade. Essa não é nossa intenção, não é o que o presidente disse. Não é o que o ministro da Economia quer. De jeito nenhum”, afirmou Guedes em evento virtual promovido por uma corretora de investimentos.

Apesar de reafirmar o compromisso com o teto de gastos, o ministro repetiu declarações anteriores segundo as quais o orçamento de guerra poderia ser retomado caso o país seja novamente atingido por uma pandemia em outro ano. Guedes, no entanto, negou que isso signifique estender o estado de calamidade pública indefinidamente.

“Quando a pandemia nos atingiu, nós criamos um regime emergencial. Agora, nós não podemos utilizar a desculpa do regime emergencial para explodir o teto de gastos”, disse.

Novo imposto

Em relação à implementação de um imposto sobre transações, semelhante à antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), Guedes negou ter desistido da ideia. Segundo ele, a criação do tributo, que cobriria uma desoneração parcial da folha de pagamentos, é essencial para a criação de empregos formais. Ontem, o ministro afirmou à emissora CNN Brasil que talvez desistiria do novo tributo.

“Não me importo se o tributo é feio, desde que ele funcione criando novos empregos. É necessário. Mas então eu dei uma informação errada ontem, porque é esse o sentimento”, afirmou. “Eu não sou um homem de desistir facilmente das coisas”.

Recuperação

Sobre o desempenho da economia, o ministro repetiu que o Brasil segue uma recuperação em “V” (forte queda seguida de forte alta), depois da paralisação da economia durante boa parte do primeiro semestre provocada pela pandemia de covid-19. Segundo ele, o período pós-pandemia exigirá compromisso com a responsabilidade fiscal.

“A doença está diminuindo e, à medida que diminui, o Brasil está em recuperação em ‘V’. Nós devemos ter responsabilidade quanto ao nosso orçamento e devemos mostrar que somos responsáveis, e fortes, e resilientes o suficiente para pagar pela nossa guerra, ao invés de rolar [renovar a dívida] para nossas crianças no futuro”, concluiu.

Fonte: Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Populares

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSOCIAÇÃO DE PEQUENOS PRODUTORES RURAIS DO PROJETO SÃO FRANCISCO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO A Diretoria da ASSOCIAÇÃO DE PEQUENOS PRODUTORES RURAIS DO PROJETO SÃO FRANCISCO, legalmente representada pelo seu Presidente, Valdemiro Ferreira de Melo, no...

RENOVAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO AMBIENTAL SIMPLIFICADA

A EMPRESA MACHADO E COSTA MELLO LTDA ME, de CNPJ n° 04.094.885/0001-96 torna público que requereu a Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA,...

Pastor é acusado de estuprar menina de 13 anos

Na madrugada dessa segunda-feira (26), a Polícia Militar (PM) de Jaru foi acionada para conter um homem que estava na rua, descontrolado e com...

Após vigília evangélica marido da surra na esposa até quebrar dente

O crime de lesão corporal praticado contra uma mulher de 26 anos foi registrado em um apartamento localizado no residencial Orgulho do Madeira, zona...
Feito por
⚙️ Skip to content