Homem morre após ser alvejado a tiros dentro de uma casa agropecuária

A Polícia Militar registrou, na tarde desta segunda-feira (03), o homicídio de Agostinho, 59 anos, que foi alvejado com dois tiros na cabeça, dentro de uma casa agropecuária após uma discussão com o autor dos disparos, identificado por uma testemunha como sendo Juraci, 60 anos. O crime ocorreu por volta das 16h20, no estabelecimento localizado na rua Rio Branco, no centro da cidade de Mirante da Serra.

De acordo com a polícia, ao chegarem ao local se depararam com a vítima caída em um dos corredores da loja agropecuária e com ferimentos causados por arma de fogo. Os policiais relataram que Agostinho ainda estava respirando e que, rapidamente, acionaram a ambulância, que o socorreu até o hospital municipal.

Ao questionar o dono do estabelecimento, o mesmo informou aos policiais que a vítima e o autor dos disparos tiveram uma discussão minutos antes do ocorrido e que ambos foram às vias de fato. Disse ainda que, em seguida, Juraci saiu do local e retornou minutos depois com uma arma em punho, efetuando disparos contra Agostinho.

A testemunha acrescentou que a vítima e o autor dos disparos se conheciam e que ele tentou apaziguar a discussão, porém não conseguiu. Logo após os disparos, Juraci saiu em seu caminhão.

Após auxiliarem a vítima, os policiais foram até a residência do suspeito. Porém, localizaram o caminhão do mesmo abandonado na rua e, dentro da moradia, encontrava-se apenas sua amásia, a qual informou que o mesmo não estava.

Em seguida, os militares se deslocaram até o hospital municipal, onde foram informados pela equipe médica que Agostinho não resistiu aos ferimentos provocados pelos tiros e faleceu. A ocorrência foi registrada na delegacia local.

Fonte: Por Gazeta Central

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários