Mãe e filha engravidam do mesmo homem e bebês nascem com seis semanas de diferença

Grande parte dos casais planeja ter filhos para começar uma família. Mas existem casos em que a gestação torna-se difícil para algumas mulheres, sendo necessários meios não convencionais para tornar o sonho da maternidade possível.

Kelsi Pierce e seu marido acabaram tendo que optar por uma maneira bastante diferente do método tradicional. A mãe da mulher foi a responsável pela tarefa de trazer uma de suas netas ao mundo, para surpresa de muitos.

Kelsi, de 31 anos de idade, e seu esposo passaram três anos lutando para ser pais e, como ela tinha baixa contagem de óvulos e fino revestimento uterino, tiveram que dar início a tratamentos de fertilidade na tentativa de realizarem o grande sonho de se tornarem pai e mãe.

Mesmo com o tratamento, Kelsi não conseguia engravidar. Ela e o marido gastaram tudo o que tinha, mas nada adiantou. A mãe da mulher, Lisa Rutherford, então se ofereceu para ser barriga de aluguel e carregar um bebê em seu ventre.

A mãe de Kelsi, aos 53 anos, não tinha certeza se seu corpo resistiria a uma gravidez. Ela realizou consultas com diversos médicos especialistas para saber se conseguiria gerar uma criança, levando em conta sua idade.

Após as consultas, Lisa finalmente confirmou que seria barriga e aluguel da filha. Ela recebeu o material genético do genro e foi fertilizada com sucesso. Mas o sonho estava apenas no início, pois a vida trouxe uma grande surpresa para a família.

blank

Como de costume, Kelsi todos os meses realizava um teste de gravidez. Apesar da pouca esperança considerando sua condição, a mulher se surpreendeu ao descobrir que estava grávida. Lisa deu à luz uma menina chamada Everly, enquanto, seis semanas depois, a filha também trouxe um bebê ao mundo, a quem chamaram de Ava.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários