Morre em São Paulo Senador Major Olímpio de morte cerebral após Covid-19

Morre por morte cerebral nesta quinta-feira (18) o senador Major Olímpio (PSL). A notícia foi divulgada nas redes sociais pela própria família do senador.

O senador estava internado no Hospital São Camilo desde o dia 2 de março, na capital paulista. Já no dia 5 de março foi transferido para uma unidade de tratamento intensivo (UTI).

Sérgio Olímpio Gomes, conhecido como Major Olímpio (PSL), foi deputado federal e deputado estadual em São Paulo por dois mandatos. Antes de ir para a carreira política, Olímpio serviu como policial militar no estado de São Paulo por 29 anos.
O senador deixa esposa e dois filhos. Antes de ingressar no PSL, em março de 2018, o senador já havia passado pelo Partido Verde, PDT e Solidariedade. Além disso o parlamentar tinha bacharel em ciências jurídicas e sociais, titulação obtida ao concluir Academia do Barro Branco da Polícia Militar. Ele exerceu as profissões de jornalista, professor de educação física e de técnica em defesa pessoal, além de ter sido instrutor de tiro.

Políticos lamentam a morte

O governador João Doria (PSDB), fez uma nota de pesar pela morte de Olímpio nas redes sociais. “Minha solidariedade à família e amigos do Senador Major Olímpio. Infelizmente mais uma vítima da Covid-19”.

Sérgio Moro também comentou sobre a morte “Registro as minhas homenagens pessoais ao Senador Major Olímpio, um grande homem público. Minha solidariedade à família.”.

“Olímpio foi um irmão pra mim e uma referência na política. Justo e com um coração gigante. Lutamos juntos em todos os momentos por justiça e verdade. Tinha o sonho de ser governador do estado. Morreu por uma causa. Não abandonou um minuto a sua obrigação e ficou até o último instante lutando e trabalhando na linha de frente para cumprir com honra o seu juramento a constituição”. Junior Bozella, deputado federal por SP e presidente do Diretório do PSL em SP.

No Congresso

Em 2014, Major Olímpio foi eleito deputado federal pelo partido Solidariedade. Em março de 2016 na Câmara, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Um mês antes da votação, Olímpio foi vaiado durante cerimônia no Palácio do Planalto, após protestar contra a posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários