A melhor cachaça do mundo: conheça a bebida produzida no interior de SP que venceu competição internacional

GOVERNO PI 38734
A melhor cachaça do mundo é do interior de São Paulo. A bebida produzida em Mirassol (SP) venceu o reconhecido concurso internacional The Global Spirits Masters, realizado em 1º de março deste ano.

Três marcas produzidas pela mesma empresa levaram a premiação máxima do concurso. São elas:

  • Cachaça Cabaré Extra Premium 15 anos;
  • Cachaça Duas Madeiras Extra Premium;
  • Cachaça Carvalho Americano 10 anos.

De acordo com o sócio-proprietário do engenho, Giovanni Tápparo, quase um milhão de litros da bebida é produzido no local.

“Muito gratificante! O prêmio é fruto de todo o nosso trabalho. Somos a terceira geração da família e é surreal arrebatar todos os prêmios da categoria em um dos maiores concursos do mundo! Nossos produtos ganharam a medalha máster (a mais alta da categoria)”, conta Giovanni.

Produção e exportação

 

O sócio-proprietário conta que a cachaça produzida com excelência passa por três processos: boa colheita, boa fermentação e boa destilação. Em seguida, começam os processos de envelhecimento, que dão cor, aroma e sabor à bebida.

“Trabalhamos com madeiras brasileiras: amendoim, jequitibá e amburana. E também com madeiras estrangeiras: carvalho europeu e carvalho americano.”

Segundo Giovanni, a maior parte das cachaças fica no mercado interno, mas os concursos com premiações internacionais vêm abrindo portas fora do país.

“Hoje, 95% da produção fica no Brasil e, aproximadamente, 5% vai para o exterior. Exportamos para os Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, e agora Portugal, Espanha e França. Estamos em negociação com outros países”, ressalta.

De produtor a consumidor

 

Quando questionado pelo g1 se também é um apreciador da bebida, Giovanni conta que ele, os pais e os irmãos são todos consumidores da cachaça. “Apreciamos a bebida em diversos momentos, sempre com moderação”, brinca.

Ele explica que o gosto vem de berço. “Meu avô, patriarca da família, começou a produzir cachaça em 1978, tanto para consumo próprio como para presentear familiares e amigos. O sucesso foi tão grande que ele viu nessa atividade uma oportunidade de negócio. Com muito amor, carinho e trabalho, o engenho não para de crescer desde então.”

Todavia, Giovanni diz que ainda existe preconceito com a cachaça, mas que está tentando quebrar barreiras.

“Nascemos no meio da cachaça, então, acompanhamos o aumento do consumo da bebida, que é um patrimônio do Brasil. Só é considerada cachaça se for produzida a partir do caldo de cana fermentado e destilado em solo brasileiro. Com isso, o público acompanha o comércio da cachaça no exterior, valorizando ainda mais o nosso produto. Além disso, já foi comprovado cientificamente que a bebida traz inúmeros benefícios para a saúde”, completa.

Giovanni Tápparo, sócio/proprietário do engenho — Foto: Divulgação

Por g1
GOVERNO PI 38734

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site