Valor de novo programa social causa primeiro atrito no governo

24x31 banner gov
blank

O valor do benefício do novo programa social do governo, que deve se chamar Auxilio Brasil, já causa o primeiro atrito entre e equipe do ministro da Economia Paulo Guedes e o centrão, agora no coração do governo, com a Casa Civil.
A previsão era que a medida provisória que cria o novo programa social e a proposta de emenda constitucional dos precatórios, que abre espaço para pagamento de um bônus à população de mais baixa renda, fossem enviados até esta sexta-feira ao Congresso.
O texto da PEC, formulado pela área econômica, foi para o Planalto ainda na terça-feira. Lá, empacou.
A disputa está em como se dará a distribuição do percentual de venda de ativos para os beneficiários do programa social.
Governo negocia valor do benefício em novo programa social
A área econômica defende um pagamento anual ou semestral, como empresas pagam distribuição de lucros. O valor iria variar de acordo com a venda de ativos e privatizações.
A área política, contudo, quer uma distribuição mensal, de forma a criar o sentimento de que o programa social paga um valor mais alto do que os atuais R$ 300 previstos — e que cabem na regra do teto de gastos, segundo estimativas do Tesouro. Técnicos do governo afirmam que uma distribuição mensal se torna despesa recorrente e não pode ocorrer fora do teto de gastos, ao contrário de um bônus eventual.
A área politica do governo e lideranças do Congresso também pressionam para tirar todo o gasto com precatórios do teto de gastos — não apenas o valor do fundo de privatizações, que pagaria o que excedesse 2,6% da Receita Corrente Líquida, valor que, de acordo com a PEC, constaria no Orçamento anual.
Na sexta, o clima estava ainda mais azedo porque a área econômica viu as digitais dos líderes do governo no Congresso nas mudanças de critérios do Refis da pandemia. A pessoas próximas, o ministro Paulo Guedes afirmou que se a Câmara confirmasse o texto, seria obrigado a sugerir veto ao presidente Jair Bolsonaro em alguns trechos.
A queda de braço voltou a arrancar acusações de “fura-teto”.
Para a equipe econômica, o novo Bolsa Família tem que pagar em torno de R$ 300. A área política, e até líderes do governo no Congresso, preferem que o bônus seja diluído em valores mensais, para que o novo programa social chegue a pagar R$ 500 ou até R$ 600 a cada família – valor semelhante ao do auxílio emergencial de 2020, que aumentou a popularidade do presidente.
No Senado, uma das frases ouvidas pelo blog foi a de que governistas afirmam que a reeleição passa por um benefício de R$ 600.

 

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site