Léo Moraes diz reunir todas as condições para disputar o governo

Propaganda do ar
blank

Único deputado federal rondoniense a figurar na lista dos “Cabeças do Congresso”, publicação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) que reúne os cem parlamentares mais influentes do país, o deputado federal Léo Moraes, em conversas com amigos, lideranças e correligionários tem admitido concorrer à sucesso do governador Marcos Rocha no ano que vem.

Reconhecido por dois anos consecutivos pelo Diap como um dos destaques do Congresso Nacional (2020 e 2021) e também pontuando por dois anos no ranking dos políticos, Léo Moraes já contabiliza uma série de projetos importantes de alcance nacional. Dentre eles, o que simplifica a inscrição de famílias de baixa renda no programa de Tarifa Social da Conta de Energia; o que reduz os principais tributos federais e estaduais sobre os combustíveis – a Contribuição para o PIS/Pasep, a Cofins e o ICMS e o projeto que cria a lei da Inteligência Artificial, para ficar só em alguns exemplos.

O parlamentar tem tido uma postura firme, também, nas votações de temas espinhosos, como foram as votações das reformas administrativa e a previdenciária. Por entender que a reforma administrativa, a famosa PEC 32, prejudica o servidor e precariza o serviço público, como a proposta de terceirização, Léo Moraes votou contra. Já na reforma da previdência, a lei criou plano de socorro financeiro aos estados e municípios por causa da pandemia, Léo não só votou favorável como foi o deputado que mais apresentou emendas em Plenário.

PRÉ-CANDIDATO

“Estamos no começo de uma longa caminhada, conversando, procurando ouvir as pessoas, as lideranças. Creio que reúno todas as condições de ser pré-candidato. Precisamos de mais competência no comando do Estado. Esse governador que aí está é uma lástima. Rondônia está deixando passar em branco uma excelente oportunidade de crescimento. Historicamente, na última década, por suas vocações naturais para o agronegócio, agroindústria, etc, Rondônia tem crescido em torno de 7% e 8%. O governo parece não enxergar essa oportunidade e fica parado, petrificado. Não tem a competência necessária para fazer as coisas funcionarem. 90% das secretarias não têm nenhum programa de impacto, a não ser um programa eleitoreiro aí de asfaltamento e recapeamento”, avalia o deputado.

Léo Moraes enumera uma série de críticas nas áreas da saúde, diz que os recursos da pandemia “foram muito mal-empregado”, não concorda com as Unisps, que para ele deveria optar pelos distritos policiais nos bairros, “para ficar mais próximo da população”.

Segundo o deputado, suas observações apontam para “deficiências de gestão, não mera opinião pessoal. Esse governo é leniente, não busca construir um legado e não aceita sugestões. Talvez não saiba que a prepotência e arrogância precede a derrocada. Também, convenhamos, um coronel que nunca comandou um pelotão, sequer, se sente incapacitado ante o desafio de comandar um Estado. Sempre se manteve no esteio de cargos e acomodações”, analisa o deputado num contraponto ao governador.

Fonte: Assessoria

CANPANHA DE 13.11.2021 GOV DE RONDONIA

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site