Rayssa tenta assegurar o uso da marca Fadinha do Skate

Propaganda do ar
blank

Entre os registros, um foi para produtos esportivos e outros dois para serviços de educação e treinamentos.

Se dentro da pista o apelido Fadinha já foi absorvido por Rayssa Leal, fora do mundo das quatro rodinhas tem dado dores de cabeça. A skatista tenta anular três registros da marca Fadinha do Skate no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) desde agosto do ano passado, conforme apuração da Folha de S. Paulo.

Como Rayssa tem 13 anos, um procurador a representa na tentativa de reverter o uso da marca com seu apelido. A criação da marca nessas condições estaria ferindo artigo da Lei da Propriedade Industrial.

Entre os registros, um foi para produtos esportivos e outros dois para serviços de educação e treinamentos.

Ainda, segundo a Folha, uma advogada usou as redes sociais para solicitar ao Inpi o registro da marca Fadinha para skates e correlatos. Caso o registro seja cedido, a advogada disse que vai ceder gratuitamente os direitos aos pais de Rayssa, além de tentar garantir o uso exclusivo para a titularidade da marca à atleta e evitar o uso indiscriminado do nome.

Questionado, o Inpi disse que não pode fornecer informações, pois ainda não há publicação oficial.

CANPANHA DE 13.11.2021 GOV DE RONDONIA

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site