Coluna Simpi – Receita Federal prorroga prazo de adesão ao Relp

Propaganda do ar

Receita Federal prorroga prazo de adesão ao Relp 

A Receita Federal prorrogou até a próxima sexta-feira (3) o prazo de adesão ao Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional (Relp). O prazo terminaria hoje dia 31 de maio. De acordo com a Receita Federal, a instrução normativa com a prorrogação será publicada em edição extra do Diário Oficial da União.

Podem ser parcelados pelo Relp todas as dívidas apuradas pelo Simples Nacional até o mês de fevereiro de 2022. A adesão pode ser feita pelo e-CAC , disponível no site da Receita Federal.

Segundo a Receita, o pagamento poderá ser realizado em até 180 vezes, com redução de até 90% das multas e juros, dependendo do volume da perda de receita da empresa durante os meses de março a dezembro de 2020 (calculado em relação a 2019). Parcelamentos rescindidos ou em andamento também poderão ser incluídos.

PL amplia limites de faturamento do MEI, da Micro e da Pequena empresa  

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 32/20 altera os limites de enquadramento do microempreendedor individual (MEI) e das empresas de pequeno porte no Simples Nacional. A proposta altera o Estatuto da Micro e Pequena Empresas e está em tramitação na Câmara dos Deputados. O texto é de autoria do deputado Leo Moraes.

Os novos limites propostos por ele são: para MEI, faturamento anual de até R$ 102 mil; para empresa de pequeno, receita anual superior a R$ 360 mil até R$ 6 milhões.

Léo Moraes afirma que a finalidade da proposta é atualizar os valores de enquadramento, que foram alterados pela última vez em 2016, e ampliar o universo de empresas que podem aderir ao Simples, reduzindo os efeitos econômicos da pandemia de Covid-19 sobre a atividade. “Essa medida fará com que mais empresas possam se beneficiar do tratamento diferenciado previsto no estatuto, disse Morais.

Assista: Assista: https://youtu.be/TlZRaARbBvk

Sabe como fazer empréstimo pelo PRONAMPE? Saiba como 

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta semana o Projeto de Lei 3.188/2021, que que mantém recursos para garantir empréstimos a micro e pequenas empresas por meio do Pronampe. A estimativa do governo é garantir pelo menos R$ 50 bilhões em crédito para as micro e pequenas empresas com o programa, através do sistema financeiro. Poderão solicitar o empréstimo o MEI, a microempresa (ME), empresa de pequeno porte (EPP) e ainda as associações, fundações de direito privado e sociedade cooperativas e os profissionais liberais. Para solicitar o empréstimo pelo Pronampe as empresas devem entrar em contato diretamente com uma das instituições financeiras participantes, que são os bancos públicos, privados e as cooperativas de crédito. Para completar a operação, será preciso ter cadastro no banco escolhido, com os seguintes documentos:

  • Carta do DTE com o faturamento da empresa (MEI – ME – EPP)
  • Contrato social e Alterações Contratuais – ME – EPP
  • Documento de Identificação do Sócio  (MEI – ME – EPP)
  • Imposto de Renda Pessoa Física do Sócio – MEI – ME – EPP
  • Extrato do último mês do SIMPLES Nacional (ME – EPP)
  • Declaração CCMEI (MEI)
  • DANS SIMEI  (MEI)
  • Recibo e declaração DEFINS 2021 (ME – EPP)

Poderá com o empréstimo investir em comprar máquinas e equipamentos, adquirir matérias primas e mercadorias, fazer reformas; pagar salário dos funcionários e quitar contas de água, luz, aluguel. Terá como limites de crédito  ser de até 30% do faturamento bruto da sua empresa registrado no ano anterior para empresas que tiverem mais de 12 meses de operação e de até 50% do seu capital social ou até 30% da média de faturamento mensal desde o início de suas atividades – para empresas que têm menos de 12 meses de operação.

Conheça mais do Programa “Empresa Campeã” 

Pensando em construir novos caminhos e buscando a inovação através do conhecimento, o FEEMPI/SIMPI qualificará em novas tecnologias em relação a mercado e vendas, pequenos empreendedores através do Programa Empresa Campeã, visando o fortalecimento e competitividade de seus negócios. Constituído de vários atores, entre eles o Banco do  Povo, que terá o papel de analisar  em comitê as inscrições e escolhas , visitar  as empresas para  levantamento de situação, acompanhar, cadastrar  e liberar microcrédito para todos aqueles empreendedores qualificados, que se enquadrarem nas linhas de financiamento para dar   prosseguimento perfeito conforme projetado.  Já outro parceiro do projeto , João Laino presidente do Simpi MT que deixa a disposição a instituição de MT  para trabalhar  no programa instruindo  para de abertura de novos mercados  e elevando  o dito popular  “comprar bem, é vender melhor. Agora  em nossa coluna  teremos a apresentação  e o papel a ser executado de cada a da parceiro no programa

Suspensão da redução da alíquota do IPI gera insegurança jurídica 

Recentemente o governo federal reduziu o IPI, primeiro em 25% e agora em 35%, o que foi feito praticamente de maneira ordinária para toda a tributação do IPI no mercado brasileiro, apenas alguns produtos ficaram de fora, segundo o advogado, Dr. Piraci de Oliveira. Alguns partidos políticos e organizações regionais do norte e nordeste entenderam que isso poderia prejudicar a Zona Franca de Manaus, então entraram com um pedido no Supremo Tribunal Federal e um dos ministros suspendeu a eficácia da redução de IPI dos produtos que são fabricados no parque industrial.

Este fato gerou uma grande confusão, pois não ficou claro qual é a relação destes produtos, o que torna muito difícil identificar em uma operação feita no Rio de Janeiro ou São Paulo, por exemplo, qual produto tem similar ou é feito na Zona Franca de Manaus, para determinar se tem ou não redução do IPI. De acordo com o Dr. Piraci de Oliveira isso tem gerado grande estresse no mercado e a orientação em situações como esta é deixar a alíquota lançada na nota fiscal. Portanto, certa ou errada o mercado deve adotar a tributação que julgar mais conveniente. A situação é de elevada insegurança jurídica, em especial para quem emite a nota fiscal.

Reforma tributária em um novo capítulo em 2022 

Um novo passo foi dado pela comissão da Reforma Tributária no Congresso. Este novo capítulo é embasado em três posições muito claras, primeiro um Refis amplo, geral, restrito e bastante oportuno, similar ao que se deu para o Simples, para as empresas de maneira geral. O segundo ponto é a redução da alíquota global do imposto de renda, de 34% para 30% e não mais os 25% como se imaginava, e a criação da tributação de dividendos, feita em 10% e não em 15%, como estava previsto. A Reforma está parada no Senado.

https://studio.youtube.com/video/EXxCXx4rqQM/edit

GOV ERNO 03/06/2022

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site