Homem mata mulher, tranca corpo em casa e se entrega à polícia 2 dias depois

GOVERNO PI 030601

Mariana de Lima Costa, de 29 anos, foi assassinada pelo marido, Jonas Ferreira Rocha, de
49 anos, na cidade de Anastácio (MS), a 126 quilômetros de Campo Grande, no último
sábado (15). Dois dias depois, o homem se apresentou à Delegacia Especializada de
Atendimento à Mulher (Deam) em Campo Grande, e confessou que cometeu o
feminicídio.

Conforme apurado, o crime teria sido presenciado pela filha do casal, uma menina de 4
anos. O crime aconteceu na residência em que o casal vivia, na região do loteamento
Altos da Cidade. Depois de matar a companheira, Jonas deixou o corpo em cima da cama,
trancou a casa e fugiu com a menina para Campo Grande.

O corpo de Mariana só foi encontrado porque a advogada do suspeito procurou a polícia
e informou sobre o ocorrido. Após a denúncia, investigadores de Anastácio arrombaram o
portão da casa para confirmar a informação e encontraram o corpo de Mariana sobre
uma cama do casal, em estado de decomposição avançado.

O delegado Gabriel Salles, titular do DP de Anastácio, disse que o cadáver estava em cima
da cama, e apresentava afundamento de crânio. Ao que tudo indica, conforme o
delegado, o suspeito atingiu Mariana com a parte de trás do machado. A arma foi
apreendida no quintal da casa do casal.

Jonas Ferreira Rocha procurou a delegacia e foi preso preventivamente na Deam na
segunda-feira (17). Durante o interrogatório, o suspeito manifestou o direito de
permanecer em silêncio. O suspeito já havia sido denunciado por Mariana por agressão
seis meses antes.

Conforme apurado, o Conselho Tutelar de Anastácio precisou ser acionado, já que a
vítima possuía ainda outras duas crianças que estão acolhidas em casa de abrigo e
proteção de menores no município. As investigações devem continuar sendo conduzidas
em Anastácio, onde ocorreu o crime.

Por G1

SAUDE DO GOV RONDONIA

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site