Coluna Simpi – Relp: Uma boa oportunidade para começar a sair da crise

Relp: Uma boa oportunidade para começar a sair da crise 

Atendendo ao convite do Simpi para nos explicar  sobre o Relp , o Dr. Breno de Paula, advogado tributarista e titular da cadeira de Direito Tributário  na Universidade Federal de Rondônia, nos informou que o   Relp – Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional implantado pelo Governo Federal, veio em bom momento face a grave  crise sanitária e econômica em razão da pandemia onde os faturamentos caíram vertiginosamente para toda a sociedade brasileira e principalmente para  o MEIs, Micros e Pequenas Empresas, de um lado , e de outro pela carga tributária  assustadora no país, somados a uma  burocracia com alta  complexidade fiscal que faz com que as MPE’s tenham acumulado dividas ao longo destes últimos dois anos.    

O Relp é interessante pois em alguns casos oferece redução de até 90% nos valores de juros e multas, para os débitos apurados no Simples Nacional ou no Simei de períodos de apuração até 02/2022. O Dr. Breno chama atenção para a data limite para a adesão prevista para dia 31 de maio de 2022, e lembra ainda que para fazer a renegociação de débitos com a Receita Federal  “basta acessar o site do Simples Nacional da Receita Federal, ou pelo Ecac da Receita Federal”.  Nós do Simpi lembramos aos empresários que tenham alguma dificuldade em fazer sua negociação, que procurem o Simpi, que tem pessoal qualificado a disposição para auxiliar nos procedimentos.  

Assista: https://youtu.be/Dray6sRrAzs  

 

Taxa Selic a 15% ? 

A perspectiva econômica, a médio e longo prazo, é que haja uma grande dificuldade, principalmente para o Banco Central, em controlar a elevação da inflação, segundo economista Otto Nogami. O único caminho, neste caso, seria elevar a taxa de juros, atualmente fixada em 12,75%. “O mercado especula que o Banco Central manterá as elevações até alcançar 13,5%. Entretanto, análises divulgadas na imprensa apontam para algo em torno de 14% ou 15%”, afirma. De acordo com Nogami, a fragilidade da nossa economia sinaliza grande dificuldade em tentar arrefecer o aumento de preços. Além disso, a elevação da taxa de juros por parte do Banco Central norte americano, modificando todas as relações comerciais pelo mundo, reflete também no Brasil e influencia a nossa economia. “A medida em que temos elevação de preços, sobe também a taxa de juros e a taxa de câmbio, o que impacta o setor produtivo e, consequentemente, o varejo”, explica. 

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=Tsj2BjhSi1Q  

 

Banco do Povo fecha o ano com mais de 4 mil empresas atendidas  

A Acrecid/Banco do Povo, em parceria com o Governo do Estado de Rondônia, com o Simpi e outras instituições públicas e privadas, vem trabalhando o Programa de Microcrédito Produtivo e Orientado, estimulando a inclusão produtiva da população empreendedora, principalmente os pequenos negócios. Em um Estado onde a economia é movimentada pela produção de grãos, pecuária, indústrias e comércios, os pequenos empreendedores formais e informais, também fazem parte deste contexto. São inúmeros segmentos que aos poucos e com muito trabalho conseguem se tornar bem-sucedidos. Com o Simpi por exemplo, houve a inovação no sistema de atendimento onde o processo é todo online, e desta forma o empreendedor pode fazer a solicitação, chegando até a aprovação do crédito sem sair de casa pois todo os procedimentos de análise de crédito são feitos online.  A partir disso, todos os anos a Acrecid lança seu Relatório Anual de Execução de Atividades, dando maior transparência para a comunidade e incentivando cada vez mais o crescimento da economia do Estado através dos micros e pequenos empresários. 

Assista: https://youtu.be/f29XQ5lHVak  

 

BNDES tem cartão exclusivo para empresas de menor porte 

O Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) oferece condições mais favoráveis para as empresas de menor porte. O banco conta com linhas exclusivas de cartão de crédito, além de opções de empréstimo. De acordo com o banco, a taxa de juros é menor e os prazos são maiores para o pagamento. As condições especiais valem para os empresários individuais, microempreendedores, produtores rurais e caminhoneiros. Como o BNDES não tem agências, as operações são feitas por meio de instituições financeiras parceiras do banco. Assim, para as empresas de pequeno porte é oferecido o cartão de crédito exclusivo. Existe também a linha de empréstimo para o Microempreendedor Individual (MEI) e microempresas (ME), com linhas de até R$ 20 mil. O limite do cartão de crédito pode chegar a R$ 2 milhões e o prazo para pagamento é de até 2 anos. Em relação à taxa de juros fica em 1,46% ao mês. O pedido do cartão é pela internet, no site Cartão BNDES, e ao entrar no site é só ir na aba “Solicite seu Cartão BNDES” e preencha o formulário. Outro serviço oferecido pelo banco é o microcrédito de até R$ 20 mil. Outro detalhe é que o empréstimo não exige garantia. Apesar disso, a receita bruta anual da empresa não pode passar de R$ 360 mil. 

 

Encontros com os pré-candidatos a presidente: Simone Tebet 

A polarização ideológica tem levado o Brasil à instabilidade política, social, econômica e vem causando desarmonia entre os poderes, na avaliação da senadora Simone Tebet. “Não há risco de ruptura institucional, mas a desarmonia entre os poderes faz com que tudo fique desarmonioso. Essa instabilidade generalizada tem aumentado a desigualdade social atinge o setor produtivo, criando um clima de insegurança”, afirmou em entrevista exclusiva ao programa “A Hora e a Vez da Pequena Empresa”. A senadora ressalta que com a desvalorização do câmbio e a inflação voltamos para o mapa da fome. “Nunca o Brasil teve tanto clima de instabilidade”, lamenta. Para Simone Tebet, não será possível reverter o cenário negativo antes do próximo ano. “Estamos em período eleitoral e a polarização ideológica tende a se acirrar”, explica. Paralelamente, segundo ela, o Brasil enfrenta a instabilidade do câmbio, os reflexos da guerra na Ucrânia, a elevação nos preços dos combustíveis e um governo sem política de planejamento. Na avaliação da senadora, na lista de prioridades do governo deveria estar a erradicação da miséria, com transferência de renda permanente; ensino fundamental de qualidade e encaminhamento de jovens do ensino médio para a universidade visando qualificação de mão de obra; reforma administrativa para um Estado eficiente; e reforma tributária que passe pela simplificação e desburocratização. “Temos mecanismos por meio da legislação e Congresso Nacional, mas o chefe do Executivo precisa fazer o dever de casa, ou seja, o Ministério do Planejamento com orçamento, aprovação das reformas necessárias e investir fortemente no social”, ressalta. Ela afirma ainda que o Congresso Nacional está tentando avançar com uma proposta de reforma tributária o mais justa possível e menos regressiva, que faça com que as empresas paguem menos impostos, conclui.. 

Assista: https://youtu.be/I_vxRaAol6Y

BANNER GOV 03/06/2022

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site