Lacen confirma morte por Covid-19: Taxista foi atendido em unidade municipal de saúde de Porto Velho

Propaganda do ar

A responsabilidade de coletar as amostras, monitorar os casos e encaminhar para internação é do município. O estado confirma os exames e faz as internações.

Durante a coletiva de imprensa que aconteceu na quinta-feira (9), o secretário de Estado da Saúde (Sesau),  Fernando Máximo, informou sobre a confirmação da segunda morte por Covid-19 em Rondônia e a responsabilidade que a prefeitura de Porto Velho tem em atender e avaliar os pacientes da capital com suspeita de coronavírus. Em caso de necessidade de internação, o município deve realizar o encaminhamento para o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron).

A segunda vítima trata-se do taxista portovelhense Aparecido Rodrigues, 66 anos, que fazia parte do grupo de risco, com hipertensão e diabetes, e apresentava o sintomas da doença. Após procurar uma Unidade de Pronto Antedimento (UPA) do município, o paciente foi liberado. O corpo do taxista foi encontrado em casa na quarta-feira (8).

A secretária de Saúde de Porto Velho, Eliana Pasini, participou da coletiva e disse que a vítima procurou a UPA da zona Leste, na segunda-feira (6), relatando possíveis sintomas de Covid-19, como febre, tosse e cansaço. Segundo ela, o idoso foi atendido no local, fez exames e foi orientado a ficar em casa, porém, mesmo com as recomendações de permanecer em quarentena, teria desobedecido às regras de isolamento, voltando a trabalhar normalmente como taxista.

Secretário de Saúde, Fernando Máximo

“Mesmo sem a confirmação do exame, nós seguimos todo o protocolo de segurança para retirada do corpo e desinfecção do local por onde ele passou. Já contactamos as equipes que atenderam esse paciente para enviar relatório sobre o atendimento. Enquanto não tivermos o relatório em mãos, não podemos afirmar nada diferente disso, mas salientamos que as equipes são orientadas a seguir as orientações necessárias”, assumindo a responsabilidade do atendimento, concluiu Pasini.

Fernando Máximo explicou que a amostra do exame foi enviada ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e teve o resultado liberado antes do prazo de 72 horas. “Para esclarecer as funções, é importante frisar que o município atendeu o paciente e encaminhou as amostras para o Lacen, e a nossa responsabilidade é entregar os exames em até 72 horas. Nos casos de internações, é responsabilidade do município fazer o encaminhamento para nossa unidade de referência, que é o Cemetron, conforme indicação médica”, explicou o secretário Fernando Máximo.

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site