Polícia divulga retrato falado de suspeito de raptar criança em escola de Porto Velho

Propaganda do ar

A Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) da Polícia Civil divulgou nesta sexta-feira (28) o retrato falado do suspeito de raptar e abusar sexualmente uma criança no último dia 14 de fevereiro, em Porto Velho.

O retrato falado foi produzido pelo Instituto de Identificação da Polícia Civil, com base nas descrição apontada pela criança. O homem teria entre 25 e 30 anos e cerca de 1,65 de altura.

De acordo com a polícia, a menina foi deixada pela mãe na escola, no bairro Marcos Freire, e arrumava a mochila na calçada quando foi abordada pelo suspeito.

O homem começou a fazer perguntas íntimas para a menor e convenceu a menina a acompanhá-lo, de moto, até a casa dele.

No imóvel, a criança foi vítima de violência sexual. Em seguida, o suspeito, também de moto, devolveu a menina na escola. Conforme a polícia, o homem usava uma motoneta com roda de liga leve.

Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente em Porto Velho — Foto: Diêgo Holanda/G1

Protesto

Três dias após o crime, pais de alunos da escola municipal Estela Compasso protestaram em frente a unidade e pediram mais segurança e controle de quem entra nas dependências da escola.

“Eu fico chocado que uma fatalidade dessa tenha acontecido. Como esse homem entrou na escola sem filho, sem acompanhante? Quando os alunos estavam entrando na escola ele saiu com uma criança e ninguém tem resposta de nada?”, disse Geraldo da Paz, pai de um aluno, no dia do protesto.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) pasta informou que “está tomando todas as medidas necessárias no que diz respeito ao ocorrido” e que as medidas de segurança nas escolas serão reforçadas

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site