Ao ver ex-marido com a atual, mulher se junta a amiga e pancadaria “rola solta” em conveniência de posto em Vilhena

Propaganda do ar
blank

Na noite de ontem, três mulheres se envolveram em uma pancadaria na conveniência de um posto de combustíveis na avenida Marechal Rondon, região central de Vilhena. A briga teria sido provocada pela ex-esposa de um homem que estava no local com a atual companheira.

Na noite de ontem, três mulheres se envolveram em uma pancadaria na conveniência de um posto de combustíveis na avenida Marechal Rondon, região central de Vilhena. A briga teria sido provocada pela ex-esposa de um homem que estava no local com a atual companheira.

Segundo o Boletim de Ocorrência, a mulher de 24 anos chegou à conveniência junto com uma amiga, de 29, e ambas partiram em direção à vítima, desferindo golpes de capacete contra ela.

Para se defender, a mulher que estava sendo atacada pegou um objeto e atingiu o rosto da rival, provocando um corte nos lábios dela.

Quando a guarnição da PM chegou ao local do confronto, encontrou a ex-esposa caída e a amiga dela exaltada, enquanto testemunhas tentavam proteger a vítima de novos ataques.

Ao ser presa, a acompanhante da agressora reagiu e disparou para um dos policiais que atendiam a ocorrência: “vocês são um bando de filhos da puta. Por que me prenderam?”.

Após receber atendimento médico, a mulher que havia iniciado à briga ao ver o ex-marido com a atual, foi levada para a Unisp, onde já estava sua amiga, que fez o trajeto algemada no camburão.

Antes de ser levada para prestar depoimento, a amiga da agressora fez ameaças à mulher que havia ajudado a agredir: “eu vou te pegar, eu vou sair daqui e vou te pegar, isso não vai ficar assim”.

Fonte Folha do sul online/Alerta Rondônia

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site