Hospital Municipal sofre interdição ética após fiscalização encontrar ‘problemas infinitos’ em RO

Propaganda do ar

O Hospital Municipal de Santa Luzia d’Oeste (RO) sofreu interdição ética devido à grande quantidade de irregularidades encontradas pelo Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero). Falta de alvará e estrutura precária estão entre as falhas.

Segundo o Ministério Público de Rondônia (MP-RO), os órgãos de fiscalização foram orientados a fiscalizar o Hospital Municipal Maria Verli Pinheiro depois que várias denúncias foram feita sobre a unidade.

Corpo de Bombeiros Militar, Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren) e Cremero: todos encontraram irregularidades na unidade hospitalar.

A visita do Cremero aconteceu em maio, mas a interdição ética ocorreu no início desta semana. Segundo a entidade, “os problemas encontrados são infinitos”, incluindo:

  • extintores de incêndio vencidos há anos;
  • infiltrações, rachaduras e mofos na estrutura;
  • fiações expostas que causam riscos de incêndio;
  • propagandas de uma clínica particular dentro do hospital que é público.

 

Fiscalização encontrou fios expostos em Hospital Municipal de Santa Luzia, RO — Foto: Cremero/Divulgação

O Conselho também apontou que foram encontrados vários insumos com validade expirada. Até o momento da interdição, foram descartadas mais de 4,5 toneladas de medicação vencida. Segundo o Cremero, são remédios que poderiam ter atendido a população no auge da pandemia da Covid-19.

 

Toneladas de medicamentos vencidos são descartados em Hospital Municipal — Foto: Cremero/Divulgação

Em uma notificação expedida pelo MP nesta segunda-feira (20), o prefeito e a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Luzia d’Oeste receberam 24 horas para apresentar quais as medidas adotadas para sanar as irregularidades identificadas e qual o encaminhamento médico feito para os pacientes, até que as adequações sejam feitas.

Confira outras irregularidade e soluções apontadas pelos órgãos de fiscalização:

  • Necessidade de apresentação do Projeto de Proteção contra Incêndio e Pânico;
  • Inexistência de enfermeiros onde são desenvolvidas as atividades de enfermagem;
  • Desativação do necrotério;
  • Ausência de médicos especialistas;
  • Falta do certificado de regularidade de inscrição de pessoa jurídica junto ao Cremero;
  • Não há dedetização realizada na unidade para controle de pragas, vetores, insetos e roedores;
  • A higienização das mãos é precária sendo usado detergente de louças, e sem papel para secá-las;
  • O acondicionamento de cilindros de gases é inadequado com risco de acidentes graves;
  • Descarte de resíduos sólidos é feito em um “casebre com a porta apodrecida de água de chuva e com saída de chorume e presença nas imediações de cachorros”;
  • Não há insumos pediátricos de intubação das crianças.

Medicamentos estavam vencidos há anos — Foto: Cremero/Divulgação

  • Local de descarte de lixo em hospital de Santa Luzia — Foto: Cremero/Divulgação

Hospital Municipal

 

Segundo o Cremero, o Hospital Municipal Maria Verli Pinheiro é unidade de saúde hospitalar e de pronto socorro. Ele possui 17 leitos e atende casos de pequena e média complexidade. O corpo médico da unidade é composto por seis médicos, sendo três efetivos e três emergenciais.

Por G1

Propaganda do ar

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site