Irmão é preso suspeito de assassinar irmã a facadas

GOVERNO PI 030601

O homem identificado como João P., irmão da advogada Izadora Santos, assassinada a facadas no sábado (13), foi preso nesta segunda-feira (15) suspeito de ser o autor do crime.

De acordo com o delegado Francisco Baretta, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foram encontradas, no quarto do suspeito, roupas sujas de sangue e a faca que teria sido utilizada para assassinar a advogada. A advogada morava com o irmão e a mãe, em Pedro II.

A princípio, os policiais trabalhavam com a suspeita de que uma vendedora de roupas teria entrado na casa da advogada e cometido o crime. Segundo o delegado, a história teria sido inventada para atrapalhar a investigação.

Os policiais ainda aguardam o resultado de exames periciais para determinar a dinâmica em que aconteceu o assassinato. Ainda segundo o delegado Bareta, pessoas da família de Izadora ainda devem ser investigados por passar ado informações equivocadas para os policiais durante a investigação.

Relembre o crime

A advogada Izadora Santos Mourão, de 41 anos, foi encontrada morta na manhã deste sábado (13), no município de Pedro II. Os familiares a acharam em seu quarto com uma perfuração no pescoço.

O comandante do 12° Batalhão da Polícia Militar, major Jairo Oliveira, informou que a principal suspeita do crime é uma mulher identificada apenas como Maria. Ela foi até a casa de Izadora e, ao sair, a advogada foi encontrada sem vida. Segundo o delegado, a história teria sido inventada para atrapalhar a investigação.

No domingo (14), o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) foi designado para investigar o caso, após um pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PI).

GOVERNO PI 030601

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Izabella Coelho

Izabella Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site