COMISSÃO RECOMENDA AFASTAMENTO DE CORREGEDOR DA SEJUS APÓS DENÚNCIA DO DEPUTADO

24x31 banner gov

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Rondônia recomendou na manhã desta terça-feira (14) pelo afastamento temporário do corregedor Geral da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), Elias Resende de Oliveira, até que sejam apurados os fatos apresentados em denúncia de improbidade administrativa, feita em plenário pelo deputado estadual Anderson do Singeperon (PV), no último dia 22 de fevereiro.
De posse de provas documentais, o deputado Anderson revelou que uma servidora nomeada em 31 de outubro de 2016, no cargo comissionado para presidir Comissão Disciplinar na Corregedoria da Sejus, teve a folha de ponto assinada como se tivesse trabalhado no período de 22 de novembro a 6 de dezembro de 2016, quando nesses dias ela estava viajando a passeio nos Estados Unidos.
A Comissão, presidida pelo deputado Jesuíno Boabaid (PMN), ainda analisa denúncia de Anderson Pereira envolvendo o secretário de Estado da Justiça, coronel Marcos Rocha, sendo que este foi chamado para prestar esclarecimentos na audiência de hoje mas não compareceu, encaminhando justificativa de ausência e a solicitação para ser remarcada para a próxima sexta-feira (17). 
Como os parlamentares não estarão na cidade na data requerida pelo secretário, houve consenso entre os parlamentares membros da Comissão para que a reunião subsequente seja convocada para o próximo dia 21 deste mês. Também participaram os deputados Dr. Neidson (PMN) e José Lebrão (PMDB).
Ainda na audiência, o deputado Anderson do Singeperon leu relatório da revista realizada no último dia 20 de fevereiro, no presídio Urso Branco, assinado pelo diretor geral Valdomiro Silvino de Melo, o qual aponta informações inverídicas nos relatos sobre o resultado da operação, feitos à imprensa pelo coronel Marcos Rocha. “Na divulgação, houve omissão de fatos, manipulação da informação e sensacionalismo praticado pela Sejus”, disse o parlamentar. 
Anderson ainda destacou que a revista foi realizada com a participação de militares do Exército, da Aeronáutica, do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar e agentes penitenciários. No entanto, o deputado ressaltou que o secretário Marcos Rocha omitiu a participação dos agentes penitenciários, os quais tiveram papel fundamental na revista, sendo que pelo menos 49 servidores da Sejus participaram da operação.
[Assessoria] Foto: Ana Célia – Decom ALE/RO

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site