Coronavírus: 2 casos suspeitos em Rondônia são descartados, diz governo

Propaganda do ar

Os dois casos suspeitos de coronavírus que entraram no balanço do Ministério da Saúde foram descartados, segundo informou nesta quinta-feira (12) a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa). O órgão revelou não ter casos suspeitos ou confirmados no estado. Um caso que vinha sendo investigado anteriormente também já foi descartado.

Conforme a Agevisa, os casos foram examinados no Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), e deram negativo. Na sequência, as amostras foram levadas ao Instituto Adolfo Lutz (IAL), laboratório referência para análises do Covid-19. Os novos testes também tiveram resultados negativos.

Apesar da confirmação do estado, os casos descartados em Rondônia ainda constavam como suspeitos na lista do Ministério da Saúde até a última atualização desta reportagem. Conforme o boletim nacional mais recente, já são pouco mais de 1,4 mil casos suspeitos do coronavírus nesta quinta-feira no Brasil, e 77 confirmados.

O primeiro caso considerado suspeito pelo Ministério da Saúde foi o de uma moradora de Porto Velho, que veio do Japão em 20 de fevereiro. Ela fez uma conexão em Paris e chegou ao Brasil no dia 22 do último mês.

Entre Paris e Guarulhos ela voou com um paciente infectado, confirmado para coronavírus. Cinco dias depois de desembarcar em Rondônia, a mulher começou a sentir sintomas, como febre, dor de garganta, tosse, dor de cabeça e fraqueza.

A mulher procurou o pronto atendimento Ana Adelaide, em Porto Velho, foi atendida e orientada a ficar em casa enquanto era acompanhada.

Pandemia

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que há uma pandemia de Covid-19. Essa é a primeira vez que um coronavírus provoca uma pandemia – o termo que se refere ao momento em que uma doença já está espalhada por diversos continentes com transmissão sustentada entre as pessoas.

O novo coronavírus já atingiu mais de 124 mil pessoas em todo o mundo e deixou mais de 4,6 mil mortos.

A organização estima que o número de pacientes infectados, de mortes e de países atingidos deve aumentar nos próximos dias e semanas. Apesar disso, os diretores ressaltaram que a declaração não muda as orientações, e que os governos devem manter o foco na contenção da circulação do vírus.

Qual é a origem do coronavírus?

O novo vírus é apontado como uma variação da família coronavírus. Os primeiros foram identificados em meados da década de 1960, de acordo com o Ministério da Saúde.

 

O nome do vírus não foi definido pela organização. Temporariamente, recebeu a nomenclatura de 2019-nCoV.

Coronavírus: sintomas, risco no Brasil e tudo o que se sabe até agora

A doença provocada pela variação originada na China foi nomeada oficialmente pela OMS como COVID-19, em 11 de fevereiro. Ainda não está claro como ocorreu a mutação que permitiu o surgimento do novo vírus.

Outras variações mais antigas de coronavírus, como SARS-CoV e MERS-CoV, são conhecidas pelos cientistas. Eles também chegaram aos humanos por contato com animais: gatos, no caso da Sars, e dromedários, no vírus Mers.

SAUDE DO GOV RONDONIA

COMO VOCÊ AVALIA A GESTÃO DA PREFEITA CARLA REDANO EM ARIQUEMES?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site