Mulher tem pulmão perfurado fazendo acupuntura

24x31 banner gov
blank

Casos como o da empresária Jessika Aldrey Germiniani, que teve o pulmão perfurado em uma sessão de acupuntura para aliviar dores no pescoço em Sorriso (MT), são raros, explica o coordenador da Associação Brasileira de Acupuntura (ABA), Sérgio Galdino. No entanto, ele diz que técnica pode causar traumas a tecidos e órgãos do paciente quando realizada por alguém sem experiência ou habilitação.

“Por exemplo, não se recomenda agulhas cumpridas nessa região, porque os pontos de acupuntura são pontos superficiais, de três a quatro milímetros. Então colocamos agulhas pequenas, e mesmo que aconteça de a pessoa esbarrar o braço na agulha, ela não chega a perfurar o órgão”, afirma.

Sérgio explica que agulhas cumpridas são colocadas, geralmente, em regiões como os glúteos e ombros.

“Até porque o profissional quando é formado é orientado a não colocar agulhas grandes em regiões dos órgãos vitais. Então é muito raro isso acontecer”, diz.

O coordenador afirma que o curso da ABA de acupuntura é de 25 meses e ensina técnicas específicas. Um profissional precisa ter essa habilitação para atuar.

A associação também afirma que está apurando a situação para saber se a profissional tem realmente habilitação para a acupuntura ou se entra no procedimento ilegal.

O médico acupunturiatra André Luiz Zanchetta Penedo, que atua na área há mais de 20 anos, explicou que afirma que apesar de parecer simples, a acupuntura requer técnicas específicas: a agulha deve ser inserida em uma profundidade e ângulo certo, com o estímulo certo para acontecer o resultado.

“Se for um paciente magro, por exemplo, você não pode aprofundar a agulha como [se fosse] em um paciente com um peso mais elevado. É preciso também saber o que a pessoa tem antes de resolver o problema. Tem que ter noção do diagnóstico do paciente e do que a sua terapia faz.”

O especialista afirmou ainda que não é normal sentir dores intensas no momento do procedimento e que, caso isso aconteça, o paciente deve ser acompanhado e encaminhado ao hospital.

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site