Polícia apura possível gravidez de menina de 13 anos estuprada por 2 anos em RO; pai é suspeito

Propaganda do ar

A Polícia Civil investiga se a menina de 13 anos que foi estuprada durante dois anos em Porto Velho teria engravidado nesse período. A informação sobre a possível gestação da vítima surgiu após três testemunhas do caso prestarem depoimento nesta quarta-feira (22). O crime veio à tona após o pai da adolescente, de 41 anos, ser preso suspeito de praticar os abusos em 15 de abril.

Conforme a polícia, a menina teria engravidado e passado por abordo pelo menos duas vezes.

“Nem a delegada sabia que a menina havia passado por aborto. Mas acreditamos que foram forçados pelo pai”, disse Flávio Rodrigues, chefe do Serviço de Inteligência e Captura (Cevic), da Polícia Civil. A vítima está sob os cuidados de uma tia e é acompanhada por psicólogos.

Outra revelação feita durante os depoimentos é o suposto envolvimento do pai da adolescente com outras menores. Ambas as informações coletadas nos depoimentos já são apuradas pela polícia.

A corporação informou que a mãe da vítima disse que não sabia dos abusos. Ela prestou depoimento na última sexta-feira (17).

Uma pastora também foi intimada a depor, já que a menina teria confessado a ela em janeiro deste ano que engravidou, mas a vítima havia pedido sigilo.

À polícia, ela alegou não ter envolvimento algum com o caso. A suspeita é de que a pastora fizesse rituais para que a menina perdoasse o crime do pai, ainda de acordo com a corporação.

 Prisão do pai

Os estupros começaram quando a vítima tinha 11 anos, segundo a Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA).

O caso começou a ser investigado em dezembro de 2019 quando a tia da vítima denunciou o crime à polícia. A menina passou por escuta especializada com uma psicóloga da DPCA, onde contou todos os detalhes das agressões do pai. Ela também passou por exame de corpo de delito que comprovou a veracidade dos fatos apresentados.

Segundo a vítima, os estupros aconteciam quando a mãe saia de casa. Ainda conforme relatos da menina, a mãe já se retirava do local sabendo que o marido cometia os abusos contra ela.

A partir desse ponto a delegacia optou pela prisão preventiva do homem, que ocorreu na semana passada. Uma guarnição foi a residência do suspeito, mas ele conseguiu fugir. Então a equipe do Cevic começou a trabalhar para localizá-lo.

O homem começou a mudar rotineiramente de endereços, sendo protegido por parentes. Por isso, durante as investigações foram feitas diligências junto às casas de vários familiares até que na quarta-feira (15) conseguiram a localização exata e efetuaram a prisão.

O suspeito trabalhava como motorista de aplicativo e a polícia não descarta a possibilidade de que outras vítimas possam ter sido estupradas por ele. Dentro da viatura, o homem disse aos policiais que “não se controlava, pois era tentado pelo demônio”.

A delegada responsável pelo caso vai investigar se os parentes sabiam dos estupros, dependendo do teor das provas, eles podem responder pelo crime de favorecimento real e a mãe da menina por conivência.

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site