Governo de Rondônia desembolsa R$ 9,8 milhões para alugar por três meses hospital em Porto Velho

Propaganda do ar

Utilizando os efeitos do Decreto de Calamidade Pública aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 20 de março, o Governo de Rondônia através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) contratou sem licitação o Hospital do Coração de Rondônia, o Prontocordis, no centro de Porto Velho, por três meses.

Pelo arrendamento, o Estado pagará a quantia de R$ 9.844.099,32 e usará todo o complexo hospitalar para atendimento as vítimas do novo Coronavírus. O documento foi publicado no Diário Oficial e é assinado pelo secretário da Saúde, Fernando Máximo.

Há mais de 15 dias, os representantes dos Poderes se reuniram para tratar das diretrizes para o combate a Covid-19 em Rondônia. Máximo aventou a possibilidade de alugar o hospital para atender possíveis casos graves de Rondônia e pensou em até abrir as portas para doentes do Amazonas, cujo sistema entrou em colapso.

As autoridades discordaram da ideia de ajudar o estado vizinho, mas não negaram a possibilidade de arrendar a unidade hospitalar. O Prontocordis é controlado pelo médico José Augusto de Oliveira, Rafael Augusto Freitas, Arinos Empreendimentos Imobiliários e Andrei Leonardo Freitas de Oliveira.

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
alertarondonia

alertarondonia

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site