Funcionário é suspeito de participação na morte do patrão; ele está foragido

Policiais da Delegacia de Homicídios de Ariquemes estão à procura do foragido Bruno Henrique Masceno dos Santos, suspeito de ter participação na morte a tiros do empresário Pedro Henrique de Souza, 27 anos, ocorrido no dia 8 deste mês, dentro do próprio carro.

No dia do crime, a vítima estava dentro do seu veículo estacionado, no Bairro São Luiz, em Ariquemes, quando dois homens chegaram em uma motocicleta. Um dos criminosos atirou várias vezes, acertando pelo menos três tiros no empresário.

Após o crime, policiais da Delegacia de Homicídios começaram a investigar o assassinato e identificaram Bruno Henrique, que era funcionário da vítima, como um dos suspeitos de participação na morte de Pedro de Souza.

Para a Polícia, Bruno, que estava com Pedro no momento em que ele foi abordado pelos criminosos, contou que foi chamado pelo patrão para buscar um veículo que levariam para o conserto. Ele afirmou ainda, que disse que só não morreu porque conseguiu fugir dos atiradores.

Com o avanço das investigações, foi descoberto que o encontro para onde Pedro foi atraído era na verdade uma armadilha, montada por Bruno, para que os comparsas executassem o empresário.

Na manhã de terça-feira (20), a Polícia Civil cumpriu buscas na casa do acusado, mas ele não foi localizado e passou a ser considerado foragido.

Qualquer informação que possa levar a Polícia até o paradeiro do criminoso pode ser repassada através dos telefones 197, 3535-3510 ou 3535-2339. Não precisa se identificar.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

[banner group='acima-de-politica']