Mãe e avó são presas acusadas de manter menino autista em canil. VEJA

24x31 banner gov
blank

Duas mulheres foram presas, nesta segunda-feira, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense (RJ), sob a acusação de manterem um menino autista, de 8 anos, em cárcere privado. Mãe e avó da criança, a dupla prendia a vítima em um canil na parte externa da casa, com a porta trancada. Segundo a polícia, o espaço soma menos de 2 metros quadrados e tem, de modo geral, péssimas condições sanitárias.

Duas mulheres foram presas, nesta segunda-feira, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense (RJ), sob a acusação de manterem um menino autista, de 8 anos, em cárcere privado. Mãe e avó da criança, a dupla prendia a vítima em um canil na parte externa da casa, com a porta trancada. Segundo a polícia, o espaço soma menos de 2 metros quadrados e tem, de modo geral, péssimas condições sanitárias.

As investigações tiveram início há cerca de dez dias, depois que uma denúncia anônima, que incluía fotos do menino trancado no canil, foi remetida à Polícia Civil, ao Conselho Tutelar e a outros órgãos. Contudo, como a residência da família fica em um dos pontos mais críticos da comunidade Gogó da Ema, uma das favelas mais violentas da cidade, foi preciso elaborar uma estratégia que permitisse o resgate da criança sem expor outros moradores ao risco de uma operação.

Agentes da 54ª DP (Belford Roxo) começaram, então, a monitorar a movimentação das suspeitas. Nesta segunda-feira, enquanto as duas eram presas em flagrante pelos policiais civis no Centro de Belford Roxo, uma equipe do Conselho Tutelar do município, autorizada pela Justiça, foi até o local e resgatou o menino.

De acordo com o delegado José Salomão Omena, titular da 54ª DP, a vítima apresentava inanição, desidratação e diversos machucados pelo corpo. Um exame de corpo de delito, que atestará a gravidade das lesões, já foi solicitado.

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site