Polícia acaba com aglomeração de 200 pessoas em balneário

Propaganda do ar

Um domingo que é para todos estarem em casa, aqueles que prezam pela “saúde e a vida” em plena Pandemia, fizeram diferente em Ariquemes, há 200km da Capital. Uma praia do rio Jamari foi tomada por um verdadeiro mar de pessoas, que desrespeitam o distanciamento social em virtude da COVID19.

Neste domingo (7), a praia do rio Jamari serviu de palco para uma vergonha aos mais de 100 mil habitantes de Ariquemes, trata-se da dispersão que a Polícia Militar fez, informações dão conta de que, cerca de 200 pessoas estavam na “Prainha do Mutirão”, desobedecendo a lei de distanciamento e fazendo aglomerações com crianças e idosos, bebidas e churrascada.

Com a aglomeração irresponsável, 7 guarnições da Polícia Militar que estavam ativas nas ruas de Ariquemes, “mantendo a ordem e garantindo aos cidadãos de bem a segurança”, foram obrigadas a se deslocarem para fazer a dispersão dos populares, que não respeitaram o isolamento social e decorrência da COVID19, lembrando que até esse domingo (7/06) Rondônia registrou 8,1 mil casos de Coronavírus com 235 mortes.

Ariquemes que está no estágio 3, com a flexibilização do comércio corre o risco de cair para 2 ou 1 e até Lockdown (Uma imposição do Estado que significa bloqueio total para desacelerar a propagação do novo Coronavírus, quando as medidas de isolamento social e de quarentena não são suficientes e os casos aumentam diariamente).

Um dos populares que acompanhou a ocorrência desabafou. “É inadmissível ver a polícia estar correndo risco de vida, para defender a população, para garantir que a ordem seja cumprida em Ariquemes e hoje deparamos com uma cena caótica dessa, centenas de pessoas reunidas”, desabafou um popular.

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
alertarondonia

alertarondonia

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site