ACUSADA DE MANDAR MATAR EX-MARIDO PERMANECE PRESA AGUARDANDO JULGAMENTO

24x31 banner gov

Eliatriz Azevedo Pereira, Eduardo Seman da Costa, Rafael Seman da Costa e Juciano Oliveira Bento, vulgo “Nego Jú” serão submetidos a julgamento no plenário do Tribunal do Júri da comarca de Rolim de Moura (RO). Eles são acusados de tentar matar o fazendeiro Eduardo Bavaresco Dias, conhecido também como “Nino”. A sentença de pronúncia (decisão que leva o réu a júri) foi proferida no mês de outubro do ano passado, pelo Juízo da 1ª Vara Criminal.

Na decisão, a magistrada Cláudia Vieira Maciel de Souza manteve a prisão preventiva dos denunciados Eliatriz Azevedo Pereira, Eduardo Seman da Costa e Juciano Oliveira Bento, por entender que persistem os motivos que ensejaram o decreto prisional, ou seja, garantia da ordem pública e aplicação da lei penal. Já o réu Rafael Seman da Costa, irmão de Eduardo, encontra-se em liberdade, mediante cumprimento de medidas cautelares impostas pelo Juízo.

Saiba mais sobre o caso

Consta na denúncia que, no dia 20 de janeiro de 2016, na zona rural de Rolim de Moura (RO), os réus Eliatriz Azevedo Pereira, Eduardo Seman da Costa, Juciano Oliveira Bento, vulgo “Nego Jú” e Rafael Seman da Costa mediante paga ou promessa de recompensa, motivo torpe e emboscada, tentaram matar mediante disparo de arma de fogo a vítima Eduardo Bavaresco Dias.

Eliatriz Azevedo Pereira, companheira do fazendeiro, e Eduardo Seman da Costa mantinham um relacionamento amoroso extraconjugal e decidiram dar cabo da vida da vítima, para que pudessem ter a vultuosa soma de dinheiro pertencente a Eduardo Bavaresco Dias.

Ainda de acordo com a peça acusatória, Rafael Seman da Costa, irmão de Eduardo (amante), indicou a este o denunciado Juciano Oliveira Bento como pessoa que poderia aceitar executar o crime mediante pagamento. Sendo assim, os denunciados Eduardo e Eliatriz passaram a ajustar a conduta criminosa com o réu Juciano, por intermédio de Rafael, oferecendo-lhe o pagamento de R$ 50.000,00, que seria entregue meses após a execução do delito, quando a denunciada Eliatriz tivesse acesso ao dinheiro da vítima.

Também é dos autos que os denunciados Eduardo e Eliatriz, dias antes da data do fato, buscaram o denunciado Juciano no distrito de Jardinópolis, para mostrar-lhe as características do automóvel da vítima e a casa onde morava. Eduardo teria providenciado a arma do crime e as munições.

Processo nº 0000166-57.2016.822.0010

Fonte: Correioderondonia.com

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site