Mulher é presa suspeita de abusar sexualmente de adolescente de 14 anos

Propaganda do ar

Uma mulher de 43 anos foi presa na segunda-feira (18) por suspeita de abusar sexualmente de um adolescente de 14 anos em Rolim de Moura (RO). Segundo a Polícia Civil (PC), a suspeita e o adolescente, que possui problemas mentais, mantinham relações sexuais há cerca de seis meses. Ainda de acordo com as investigações, após a descoberta do caso por uma professora, a mulher teria incentivado o garoto a envenenar todos na escola.

Conforme o delegado Renato César Morari, da Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher (Deam), a suspeita era vizinha da família do adolescente e há cerca de seis meses mantinha um relacionamento com o menino, com o consentimento da mãe dele, que também tem problemas mentais, de acordo com a Polícia Civil. O caso foi descoberto por uma professora que desconfiou do comportamento estranho da vítima.

“Há cerca de duas semanas o adolescente falou para outro colega de sala, de 11 anos, que tinha uma namorada mais velha, e que os dois dormiam juntos e mantinham relações sexuais. Ele ainda convidou o colega para ir à casa da namorada para um encontro a três. O encontro não aconteceu porque uma professora desconfiou do comportamento dos dois e os questionou, quando acabaram confessando o relacionamento com a suspeita”, explica.

Após a descoberta, a professora encaminhou a mãe e o garoto para a direção da escola. A Polícia Militar e o Conselho Tutelar foram acionados e conversaram com a mãe do adolescente sobre o assunto. Um boletim de ocorrência foi registrado para acompanhar o caso.

Tentativa de envenenamento

De acordo com o delegado, ao saber que o caso tinha sido descoberto na escola, a suspeita tentou intimidar o adolescente e o orientou a envenenar a professora e o todos alunos do local.

“Descobrimos que o menino levou um frasco de veneno para a escola com a intensão de jogar no bebedouro, banheiro e na horta da escola, porém, ele desistiu do ato porque gostava do pessoal do colégio. Ao ser questionado, ele disse que o veneno tinha sido entregue pela namorada para envenenar todos na instituição pois deveriam morrer porque a professora tinha lhe denunciado”, aponta.

Diante das provas, o delegado Renato César Morari pediu a prisão preventiva da mulher por estupro de vulnerável. “Juntamos os depoimentos e outras provas e pedimos a prisão dela, pois estava abusando sexualmente da vítima que possui deficiência mental. O pedido foi aceito pela Justiça na segunda-feira”, conta.

Consentimento da mãe

Conforme as investigações, a suspeita costumava buscar o garoto na escola e já dormiu várias vezes na casa dele, com a permissão da mãe dele. A mulher que é vizinha da família da vítima nega os abusos. Após a conclusão do inquérito o caso será encaminhado para o Ministério Público de Rondônia (MP-RO).

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site