Garra realiza treinamento no Nortão

24x31 banner gov

O enfrentamento às ações criminosas no ano de 2016 ganhou reforço do Grupo Armado de Resposta Rápida (GARRA) em sete regiões integradas da Segurança Pública.  O Garra entrou em atividade nos municípios de Cuiabá, Alta Floresta, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis, Juína e Confresa.

Para o delegado geral, Rogério Atílio Modelli, os grupos táticos especializados vêm suprir uma deficiência da PJC, no atendimento de ocorrências de maior gravidade no interior do Estado, como os roubos a banco. “São ações mais complexas que precisam de policiais preparados para o atendimento rápido, até a chegada de reforços do GOE. Com os grupos especializados nesses locais, a resposta tem sido  mais célere”, disse.

Antes de começar a atuar nas regiões, 94 policiais lotados nas regionais passaram por  60 horas de capacitação no 1º Estágio de Operador do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), para o pronto-emprego das técnicas operacionais  no atendimento de ocorrências graves ou de alto risco a integridade física de pessoas e do policial.  

Treinamentos 

Em cada uma das localidades, os policiais receberam intenso treinamento alinhado a conhecimentos teórico e prático. As aulas aconteceram pela manhã, à tarde e à noite, com o objetivo de aprofundar técnicas de abordagem, tiros e munição (de diferentes tipos e calibres), entrada tática em ambientes confinados, gerenciamento de crise, sobrevivência policial individual, entre outras disciplinas necessárias ao aprimoramento do policial para o emprego em ações criminosas de eminente risco.

O treinamento foi realizado por policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE),  nas Regionais da Polícia Civil, que passam a coordenar as equipes do Garra em suas localidades, em consonância com a doutrina do GOE.

De acordo com o delegado do GOE, Ramiro Mathias Ribeiro Queiroz, que também é coordenador do Garra em Cuiabá, o treinamento é padronizado. “Se juntarmos os policiais do Garra de Alta Floresta com os do Garra de Rondonópolis ou Confresa, todos vão falar a mesma linguagem. São policiais preparados para qualquer situação, sendo nosso primeiro contato na região. Se a ocorrência evoluir para uma crise ou uma situação, por exemplo, com  refém, estão instruídos a chamar o GOE”, explicou.

“O Garra é muito importante, não só para potencializar as investigações e intervir em situações mais graves, mas também por mostrar a presença forte do Estado. Só tenho a parabenizar o nosso secretário e o governo estadual, que entendeu a necessidade da Polícia Civil ter um grupo tático em cada região”, afirmou Araújo.

Em Barra do Garças (509 km a Leste), o delegado regional, Adilson Gonçalves, informou que o Garra está atuando em toda a regional. “São duas equipes, uma  usada todos os dias nos atendimentos diários e outra nas eventualidades, nas situações de risco envolvendo roubos a banco, aos correios e nas demandas mais complexas. Aqui é uma região de divisa e também queremos fortalecer a segurança de fronteira”, disse.

As últimas Regionais a receberem o treinamento do Goe foram Juína, com 14 policiais (13 investigadores e 1 delegados) capacitados entre os dias 5 e 10 de dezembro, e Confresa, que iniciou o curso no dia 13 e finalizou no  ultimo domingo, 18 dezembro, com aulas em período integral, ministradas para 14 investigadores e 1 delegado de polícia.

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site