GRUPO DE MULHERES LANÇA CAMPANHA SOS BAIRRO NACIONAL; CRIANÇAS CORREM RISCO DE MORTE

24x31 banner gov

Sensibilizadas com as condições das crianças que participam do projeto Curumim – Guarani, na Academia  Torres, no Bairro Nacional, as mulheres que integram o grupo “Amigas do Vinho Rosa”  lançaram no sábado, 04, a campanha SOS  Bairro Nacional  para chamar a atenção das autoridades para  reconstruir a ponte da Estrada do Belmont, iluminar a área, retirar o mato que toma conta dessa parte da rua e  oferecer mais segurança aos moradores.

 

Um lado da ponte caiu há três anos e, devido a erosão,  a situação se tornou ainda mais crítica, fazendo com que apenas um  veículo passe pelo local  de cada vez. Para complicar ainda mais, o mato avança pela rua, não tem calçada e nem iluminação. É nesse cenário que as crianças que frequentam o projeto Curumim-Guarani passam todos os dias para ir às aulas de taekwondo e jiu-jitsu, e também para a escola.

 

Para  as crianças que frequentam o projeto na parte da noite o perigo é maior, especialmente porque elas vão sozinhas. “Nós, professores, ficamos  esperando elas passarem pela ponte com receio de que algo aconteça. É uma insegurança total”, declarou o mestre voluntário Henrique Holanda, que dá aula de jiu-jitsu. 

 

Essa rua é a mais movimentada, pois é a principal porta de entrada do bairro, por onde passam  os caminhões que se dirigem a área portuária. “É desumano o que está acontecendo com essas crianças – elas correm risco de morte a todo momento”, declarou a empresária Sânia Miranda, que está liderando a campanha junto com as amigas.

 

Projeto

O Curumim-Guarani começou há três anos. Quando abriu a academia, o professor Torres começou a cobrar mensalidade e, para sua surpresa, muita gente queria fazer aula, mas não tinha dinheiro para pagar, especialmente as crianças e adolescentes que viviam em situação de vulnerabilidade social. Sensibilizado, Torres começou a ministrar aula de taekwondo de graça, mas precisava de mais voluntários para ajudar no trabalho.

 Ao tomar conhecimento do caso, o professor e empresário Henrique Holanda (jiu jitsu) teve a ideia de instituir o projeto  em parceria com Torres e  Carlos Eugênio (jiu jitsu). Agora, essa ação social já conta com mais dois  professores – Jocílio Torres e Cilos Torres Vieira.

 O grupo não conta com apoio do setor público ou de organizações privadas. Apenas um parlamentar paga o salário de um professor.  O ponto onde funciona a academia é alugado – o custo é R$ 600,00, fora os gatos com energia e limpeza. A equipe conta apenas com a solidariedade de voluntários.

 

Campeões

Atualmente, o projeto atende mais de 100 crianças e adolescentes a partir dos 03 anos de idade.  Mas existem regras para participar do Curumim-Guarani: a criança ou adolescente não pode tirar nota baixa na escola e precisa ter disciplina, seguindo a filosofia das artes marciais. Aquele que estiver com nota baixa não participa do exame de faixa. “Para quem treina, sabe o quanto uma penalidade dessas é dolorida”, declarou Torres.

 

O resultado positivo do projeto pode ser constatado pelo número de atletas que se destacam em  competições fora do estado. Em 2012, Gabriel Castelo Branco, 12 anos, atleta de jiu jitsu, ficou em terceiro lugar em uma competição na Espanha. Marivânia Costa foi campeã brasileira de taekwondo, Arthur Gouveia vice-campeão e Giovana Da Luz, vice-campeã Brasileira

 

Doação – quimonos – material escolar

 

O grupo “Amiga do Vinho Rosa”  aproveitou o lançamento da campanha para fazer ação solidária em favor do Curumim-Guarani. Elas doaram material escolar para todas as crianças do projeto e 50 quimonos. Boa parte dos atletas não tinha a vestimenta adequada para treinar –  alguns conseguiam emprestado do colega que tinha acabado o treino ; outros  recebiam doação de quimonos usados e  tinha ainda aqueles que utilizavam  números três vezes acima do dele, que mal dava para se movimentar.

 

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site