Jornalista publica redação do Enem com nota 0 (zero) e questiona critérios de correção

Propaganda do ar

Um jornalista, de 44 anos de idade, publicou em sua rede social, sua redação na prova do Enem 2016.

Para cada critério de avaliação foi feito um contraponto quanto à nota do avaliador, colocando em dúvida o método atual de correção, “o ideal e justo esta longe para ter a credibilidade necessária”, comentou.

Segundo o Jornalista, talvez por uma sobrecarga em uma mesma pessoa, pela quantidade de correções, é natural que nas primeiras redações, o avaliador tenha critérios mais atentos e, à medida que vai se cansando pode deixar de usar o pluralismo e passe a adotar algum método de agilidade, sem pensar no autor. O que pode prejudicar alguns e beneficiar outros.

Desde sempre, as notas atribuídas às redações, não correspondem com justiça ao desempenho do estudante, já houve caso, no Enem de 2012, em que uma redação com uma receita de miojo tirou nota 560.

O jornalista publicou a cópia da redação e as justificativas postadas em sua página de acompanhamento do Inep, afirmando que, apesar de informarem que o “objetivo é fornecer subsídios pedagógicos quanto à sua atuação em cada uma das Competências”, utilizam-se de linguagens genéricas, que podem ser atribuídas a todos que ficaram com 0 (zero), não satisfazendo nem apontando o erro que merecesse tal nota.

Ele pede ainda, que os especialistas que tiverem acesso a sua redação, analisem e comentem para que possa entender melhor o porquê do 0 (zero) em todos os critérios.

Ele acrescenta que não fugiu do tema proposto, e finalizou apresentando uma solução para o problema da “intolerância religiosa”, como foi pedido no enunciado.

 blank

blank

Da redação do Alerta Rondônia

 

 

CANPANHA DE 13.11.2021 GOV DE RONDONIA

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site