Jovem suspeito de participar de assalto à residência de policial morre após ser baleado ao apontar arma para PM

Propaganda do ar

Um jovem suspeito de participar de um assalto à residência morreu na madrugada deste sábado (16), após ser atingido por um disparo de arma de fogo efetuado pela Polícia Militar (PM), no Setor 8, em Ariquemes (RO). Conforme a PM, o jovem e outras três pessoas armadas e encapuzadas invadiram a casa de um policial militar, no Setor Apoio Social, onde levaram duas armas e diversos objetos.

Durante a ação, os suspeitos encontraram a farda do policial e passaram a agredir as cinco vítimas da residência com chutes, socos e coronhadas. O jovem foi socorrido com vida até o Hospital Regional de Ariquemes, mas não resistiu aos ferimentos.

Conforme o boletim de ocorrência, uma guarnição foi informada que estava acontecendo um roubo em uma residência no Setor Apoio Social. A informação era que no local, quatro criminosos armados e encapuzados invadiram o imóvel, renderam e amarraram todas as vítimas que estavam na casa.

A residência pertence a um policial e, durante a ação, os suspeitos pegaram diversos objetos e duas armas de fogo. Os quatro suspeitos fugiram a pé do local e foram sentido ao Parque Botânico do município. As guarnições se deslocarem até as proximidades do parque e avistaram alguns suspeitos sobre o muro do local.

Ao visualizarem a PM, alguns suspeitos correram para dentro do Parque Botânico e outros sentido ao Setor 8. Outras guarnições policiais foram acionadas, e os militares realizaram um cerco. Durante as buscas, um adolescente de 17 anos foi encontrado escondido em um matagal. Com ele, a polícia encontrou um simulacro de pistola, e um revólver calibre 22 foi encontrado no matagal onde ele se escondeu.

Durante as buscas pelo Setor 8, a PM constatou que um suspeito estava escondido em meio a uma propriedade com obras inacabadas. Ao perceber a presença da polícia, o suspeito saiu em direção aos militares, que solicitaram para ele se entregar. Porém, o jovem apontou a arma para os policiais e um deles efetuou quatro disparos para reagir à agressão, que atingiu o rapaz na região do tórax.

Os militares acionaram o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para prestar os primeiros socorros ao jovem, mas, por apresentar sinais de vida, a própria PM socorreu o suspeito até Hospital Regional de Ariquemes. Na unidade hospitalar, ele foi atendido por um médico plantonista, mas não resistiu aos ferimentos momentos depois na sala de pronto-socorro.

O adolescente apreendido foi encaminhado até a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) de Ariquemes, para prestar esclarecimentos ao delegado de plantão. A mãe do menor acompanhou o registro da ocorrência.

À reportagem da Rede Amazônica Ariquemes, o comandante do 7º BPM, Major Alexandre Faria, relatou que uma sindicância interna será instaurada para apurar a ação e a conduta dos policiais envolvidos na ocorrência.

Vítimas reconheceram jovem morto e adolescente apreendido

Uma guarnição do Grupo de Operações Especiais (Goe) da PM se deslocou até a residência onde aconteceu o roubo. No local, foram apresentadas imagens do jovem morto e do adolescente, e a proprietária do imóvel, de 33 anos, reconheceu os dois de terem participado no roubo. A mulher ainda informou que o suspeito que morreu era o mais agressivo entre os quatro.

A vítima disse que o filho dela, de 16 anos, chegava na casa quando foi abordado pelos suspeitos, que o levaram para dentro da casa, onde renderam as outras quatro pessoas que estavam no imóvel.

Os suspeitos permaneceram dentro da residência por cerca de 30 minutos e, ao revirarem os cômodos em busca de objetos de valor, encontraram as duas armas de fogo e uma farda do policial militar. Em seguida, os suspeitos passaram a agredir as vítimas com chutes, socos e coronhadas pelos corpos.

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site