PRODUÇÃO DO PRÉ-SAL FOI RECORDE EM JANEIRO

24x31 banner gov

A produção do pré-sal foi recorde em janeiro de 2017, totalizando aproximadamente 1,588 milhão de barris de óleo equivalente por dia, superando a de dezembro de 2016, quando foram produzidos em média 1,571 milhão de barris de óleo equivalente por dia. A produção, oriunda de 73 poços, foi de aproximadamente 1,276 milhão de barris de petróleo por dia e 49,5 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, um aumento de 1,1% em relação ao mês anterior. A produção do pré-sal correspondeu a 47% do total produzido no Brasil. Os poços do “pré-sal” são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do artigo 2º da Lei nº 12.351/2010.
Em janeiro de 2017, produção de petróleo no Brasil totalizou 2,687 milhões de barris por dia (bbl/d). O volume representa um crescimento de 14,2% em relação ao mesmo mês em 2016 e uma queda de 1,6% na comparação ao mês anterior. Já a produção de gás natural foi de 109,9 milhões de metros cúbicos por dia, superando em 13,1% a produção do mesmo mês em 2016. Houve queda de 1,6% em relação ao ao mês anterior. A produção total de petróleo e gás natural no País foi de aproximadamente  3,378 milhões de barris de óleo equivalente por dia.
O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, produzindo, em média, 729,5 mil bbl/d de petróleo e 31,6 milhões de m³/d de gás natural. A produção de petróleo de Lula é a maior já registrada por um campo no Brasil, superando o recorde anterior do próprio campo em dezembro de 2016, que foi de 710,9 mil bbl/d.
Queima de gás
O aproveitamento de gás natural no mês alcançou 96,1%. A queima de gás em janeiro foi de 4,3 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução de 1,5% se comparada ao mês anterior e um aumento de 30,8% em relação ao mesmo mês em 2016.
Campos produtores
Os campos marítimos produziram 94,9% do petróleo e 80,4% do gás natural. A produção ocorreu em 8.521 poços, sendo 746 marítimos e 7.775 terrestres. Os campos operados pela Petrobras produziram 94,2% do petróleo e gás natural.
Estreito, na Bacia Potiguar, teve o maior número de poços produtores: 1.102. Marlim, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 63.
A FPSO Petrobras 58, produzindo nos campos de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Anã e Baleia Franca, produziu, por meio de 13 poços a ela interligados, 199,2 mil boe/d e foi a UEP (Unidade Estacionária de Produção) com maior produção. Apesar de o boletim considerar cada Área de Desenvolvimento do Bloco BC-60 (“Parque das Baleias”) individualmente, a Resolução de Diretoria da ANP nº 69/2014 determinou a unificação destas áreas ao Campo de Jubarte. No entanto, em razão de processo arbitral e da demanda judicial instaurados, será conferido o tratamento separado a cada área de desenvolvimento até a conclusão de tais processos.
As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 141,6 mil boe/d, sendo 115,4 mil bbl/d de petróleo e 4,2 milhões de m³/d de gás natural. Desse total, 136,5 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos pela Petrobras e 5 mil boe/d por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 306 boe/d em Alagoas, 2.188 boe/d na Bahia, 64 boe/d no Espírito Santo, 2.244 boe/d no Rio Grande do Norte e 234 boe/d em Sergipe.
Outras informações
Em janeiro de 2017, 288 concessões, operadas por 26 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 81 são concessões marítimas e 207 terrestres. Vale ressaltar que, do total das concessões produtoras, duas encontram-se em atividade exploratória e produzindo através de Teste de Longa Duração (TLD), e outras oito são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais. O grau API médio foi de 26,3, sendo 33,1% da produção considerada óleo leve (>=31°API), 44,1% óleo médio (>=22 API e
Mais informações estão disponíveis no Boletim de Janeiro, disponível AQUI 

Com informações da ANP*

Assessoria de Comunicação Social
Ministério de Minas e Energia

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site