Polícia apreende carregamento de maconha na BR-364

24x31 banner gov

Duzentos quilos de maconha foram apreendidos em ação integrada da Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) da Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na noite de quinta-feira (20.03).

Abordagem, que ocorreu no posto da PRF após denúncia recebida via o WhatsApp da DRE (65) 9 9989-0071, terminou com a prisão de cinco pessoas e dois veículos apreendidos.

Conforme informações da DRE, a apuração da denúncia, referente ao carregamento de maconha vindo do Mato Grosso do Sul,  começou a tarde e logo equipes da Delegacias e da Rotam iniciaram deslocamento para interceptar a carga, que chegou pela BR 364, entrada de Cuiabá sentido Rondonópolis (212 km ao Sul).

Primeiramente, os policiais das três instituições abordaram um veículo Uno azul, com 4 pessoas. São elas: Valmir Gonçalves da Guia, José Hélio Junior Ribeiro da Silva, Lucas Lenilton da Silva Farias e Tiago da Silva Ferreira, contratados para o trabalho de escolta do entorpecentes pelo valor de R$ 2 mil.

Na sequência, os policiais abordaram um Fort KA sedan branco, com o porta-malas abarrotado de tabletes de drogas, acondicionados em 9 fardos. O carro era conduzido por Douglas Correa Amorzino, que já responde processo por tráfico de drogas. Ele confessou ser o dono da droga.

Todos os cinco foram autuados por tráfico e associação para o tráfico de drogas. Eles estão sendo interrogados na DRE e após serão encaminhados para audiência de custódia.

Denúncias

Além do disque-denúncia via 197, a Polícia Civil conta com um canal exclusivo via WhatsApp para recebimento de informações referentes ao tráfico de drogas. Pelo telefone (65) 9 9989-0071 qualquer pessoa pode auxiliar as investigações da DRE. O sigilo é absoluto.

24x31 banner gov

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
airton

airton

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site