BÁRBARO – Rondoniense é sequestrada, amarrada, amordaçada, estuprada e deixada para morrer na fronteira dos EUA com o México – VÍDEO

Propaganda do ar

Os traficantes teriam abandonado a brasileira amarrada, amordaçada e com tiras no pescoço.

A internauta Mary Almeida, que mora na cidade de Framingham, em Massachusetts (EUA), compartilhou nas redes sociais uma campanha para ajudar a família de uma brasileira que teria sido abusada e abandonada na fronteira daquele país com o México. De acordo com as informações, Jessiane Gonçalves Schinaider tinha o sonho de entrar nos Estados Unidos e seguir o “sonho americano”.

Em um breve relato, Ivania Vazquez, organizadora da campanha, disse que Jessiane, que é moradora da cidade de Buritis, em Rondônia, “caiu em mãos erradas ao tentar atravessar a fronteira mexicana”. O jornal publicou, recentemente, o relato dramático de outra rondoniense que viu um amigo ser assassinado, quando se preparava para entrar nos EUA pela fronteira mexicana.

A publicação afirma que a jovem tem 24 anos e foi sequestrada e violentada de várias maneiras e “não morreu por milagre de Deus”. O último contato com a família foi no dia 05 de dezembro quando ela pediu aos parentes para ter misericórdia e enviar mais dinheiro aos sequestradores. Mas os familiares não tinham como enviar mais.

A princípio, os sequestradores informaram a família que ela tinha sido entregue aos agentes de imigração no Texas. Passaram-se dias de angústia sem que qualquer informação fosse relatada. A tranquilidade só chegou quando uma enfermeira da cidade de Juarez, no México, ligou. Ela conseguiu encontrar a família, no Brasil, através do sobrenome de Jessiane.

Os traficantes teriam abandonado a brasileira amarrada, amordaçada e com tiras no pescoço. Eles acreditavam que ela morreria, pois o local além de isolado tinha pouca movimentação de pessoas. Mas um fazendeiro a encontrou e a levou até o hospital em Juarez.

A campanha criada foi devido ao hospital onde ela se encontra estar exigindo que as despesas sejam cobertas antes de darem alta. De acordo com a publicação, o esposo de Jessiane, José Carlos, vive nos EUA há apenas três meses e ainda não tem condições de financeiras de arcar com todos os custos. Atualmente ele está no estado de New Jersey.

De acordo com a publicação dos criadores da vaquinha, o hospital tem cobrado as despesas médicas que vão ficar por conta do marido de Jessiane. Nas redes sociais, a comunidade brasileira tem se mobilizado para ajudar na arrecadação de dinheiro.

“Gostaria de pedir aqui a todos que possam contribuir com uma ajuda para essa família desesperada que está sofrendo tanto neste difícil momento, mas ainda existe o sopro de vida”, escreveu uma brasileira moradora de Framingham, em Massachusetts.

Até o momento, a campanha contou com a participação de 153 pessoas e arrecadou US$ 6.773 (equivalente a R$ 38,5 mil). A meta é levantar a quantia de US$ 8 mil (equivalente a R$ 45,5 mil).

Ivania, que iniciou a campanha, vive em Massachusetts.

Folha do Sul

Propaganda do ar

Como você avalia a gestão do Governo Marcos Rocha?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Com muito ❤ por go7.site